Busca avançada
Ano de início
Entree

Eixo intestino-pulmão: contribuição da dieta e da microbiota intestinal na regulação do sistema imune associado a mucosa pulmonar

Processo: 19/12691-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2020
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2023
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Celular
Pesquisador responsável:Denise Morais da Fonseca
Beneficiário:Marina Caçador Ayupe
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/25364-0 - Cicatriz imunológica pós-infecção intestinal aguda e desenvolvimento de desordens metabólicas: estudo das interações entre a microbiota e sistema imunológico do mesentério, AP.JP
Assunto(s):Membrana mucosa   Intestinos   Pulmão   Microbioma gastrointestinal   Sistema imune   Asma   Dieta   Dieta cetogênica   Modelos animais

Resumo

O intestino é um tecido altamente complexo e o maior órgão do corpo exposto a infecções, a microbiota e aos componentes da dieta, os quais influenciam na homeostase intestinal. Dessa forma, o sistema imunológico associado a mucosa intestinal, necessita de uma rede celular complexa de mecanismos altamente regulados, a fim de manter o equilíbrio tecidual. De fato, os nutrientes da dieta são essenciais para o correto funcionamento do sistema imunológico associado a mucosa intestinal e influenciam tanto a composição da microbiota quanto as células do sistema imunológico. Por exemplo, a ingestão de alimentos ricos em gordura e pobres em fibras, promove disbiose e aumento da permeabilidade intestinal. Por outro lado, o consumo de uma dieta rica em fibras promove efeitos anti-inflamatórios, com aumento de células T reguladoras (Treg) no intestino. Atualmente, dietas pobres em nutrientes e o uso de dietas desbalanceadas, como as dietas de desnutrição e cetogênicas, são muito recorrentes na população. Tais dietas podem promover disbiose, porém seus efeitos sobre o sistema imunológico associado a mucosa intestinal ainda são desconhecidos. Paralelamente, estudos têm buscado entender como a quebra na homeostase intestinal influencia outros tecidos de mucosa, como os pulmões. Tem sido sugerido a presença de comunicação imunológica entre o intestino e o pulmão, através de componentes presentes na dieta, microbiota, células e moléculas associadas ao sistema imune. Por exemplo, os ácidos graxos de cadeia curta (SCFA) produzidos na mucosa intestinal podem alcançar os pulmões e exercer um efeito protetor no desenvolvimento da asma. Nós hipotetizamos que mudanças na dieta que comprometam o sistema imunológico associado a mucosa intestinal possam interferir na função da mucosa pulmonar. Acreditamos que este efeito possa ser mediado por alterações na microbiota intestinal ou pelo tráfego celular entre os dois tecidos de mucosa. Neste estudo, avaliaremos o efeito de mudanças na dieta sobre a regulação e função do sistema imune associado a mucosa pulmonar. Para isso, os camundongos serão tratados com dois tipos de dietas desbalanceadas: 1) dieta de desnutrição ou 2) cetogênica. Para entender se estas dietas influenciam na regulação do sistema imunológico associado ao pulmão, o tratamento será seguido pela indução de processo inflamatório pulmonar. Analisaremos o impacto da dieta sobre as células do sistema imunológico associadas ao intestino e sobre a microbiota intestinal e, por fim, como estas alterações refletem na mucosa pulmonar. Acreditamos que os resultados obtidos neste projeto podem abrir perspectivas não apenas para o estudo dos mecanismos de comunicação celular e molecular no eixo intestino-pulmão, mas também para salientar a importância de políticas de monitoramento nutricional em áreas de desnutrição. (AU)