Busca avançada
Ano de início
Entree

O uso de exossomos derivados de células mesenquimais na Medicina Regenerativa: aproveitamento de subprodutos da terapia celular para formulação de composto de uso tópico para o tratamento de feridas

Processo: 19/22317-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE  
Vigência (Início): 01 de setembro de 2019
Vigência (Término): 31 de maio de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Adriana Oliveira Manfiolli
Beneficiário:Adriana Oliveira Manfiolli
Empresa:CC Oliveira Eireli - ME
CNAE: Pesquisa e desenvolvimento experimental em ciências físicas e naturais
Atividades de ensino não especificadas anteriormente
Vinculado ao auxílio:19/00782-5 - O uso de exossomos derivados de células mesenquimais na medicina regenerativa: aproveitamento de subprodutos da terapia celular para formulação de composto de uso tópico para o tratamento de feridas, AP.PIPE
Assunto(s):Medicina regenerativa   Dermatologia   Terapia baseada em transplante de células e tecidos   Ferimentos e lesões   Úlcera cutânea   Exossomos   Células-tronco mesenquimais   MicroRNAs

Resumo

Uma vez que a pele desempenha funções imprescindíveis ao organismo, a perda de sua integridade como observado em úlceras complexas, resulta em uma série de complicações. Patologias de base como Diabetes estão comumente relacionadas ao desenvolvimento de úlceras crônicas. Essas úlceras, bem como outras lesões graves de pele tais como as ocasionadas por queimaduras extensas, estão associadas a mau prognóstico, longos períodos de tratamento e altos custos para os sistemas de saúde. Diversas alternativas terapêuticas encontram-se disponíveis, porém existe uma gama de pacientes refratários às terapias convencionais. Nesse contexto, a Medicina Regenerativa por meio da terapia celular tem emergido nos últimos anos como alternativa de tratamento para esses pacientes. Dentre as células utilizadas terapeuticamente, as Células Mesenquimais (CMs) destacam-se principalmente por suas propriedades imunomoduladoras e regenerativas. Grande parte do potencial terapêutico dessas células vem sendo atribuído à secreção de moléculas bioativas em suas Vesículas Extracelulares (VEs), principalmente os exossomos. Em uma primeira abordagem, a In Situ Terapia Celular desenvolveu um biocurativo 3D contendo células mesenquimais para o tratamento de pacientes portadores de úlceras complexas. Entretanto, sabendo do potencial terapêutico das VEs e visando não só a obtenção de um produto de prateleira, mais acessível, como também um produto capaz de prover a continuidade do tratamento e a possibilidade de tratamento de lesões menos complexas, o presente projeto visa isolar e caracterizar exossomos derivados de CMs, bem como testar a associação dos mesmos a véiculos para a confecção de produtos de uso tópico para o tratamento de lesões de pele. Dessa forma, a partir do meio de cultivo utilizado durante a expansão das CMs in vitro, serão isolados os exossomos que contêm uma carga preciosa de microRNas, fatores de crescimento e outras proteínas capazes de auxiliar o processo cicatricial. Iremos inicialmente trabalhar com duas formas para o aproveitamento dos exossomos: 1) associação dos exossomos a uma formulação farmacêutica para aplicação tópica; 2) utilização dos exossomos para potencializar o efeito dos biocurativos produzidos por bioimpressão tridimensional (3D). Ambos os produtos serão utilizados para aplicação em lesões de pele. O desenvolvimento de produtos de terapia celular utilizando técnicas inovadoras e obedecendo às boas práticas de manufatura é crucial para que esse tipo de tratamento possa ser oferecido de maneira segura, não invasiva e eficaz. Além disso, a valorização de produtos de tecnologia nacional favorecerá o acesso aos pacientes do Sistema Único de Saúde, uma vez que a importação de produtos de terapias avançadas é extremamente dispendiosa. Dessa maneira, alcançando os objetivos propostos nesse projeto, e continuando com os testes pré-clínicos e clínicos em uma segunda fase, iremos inserir no mercado opções inovadoras e acessíveis para o tratamento dessas lesões. (AU)