Busca avançada
Ano de início
Entree

Radar de sensoriamento remoto transportado por drone

Processo: 19/22222-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE  
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2019
Vigência (Término): 30 de setembro de 2020
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Elétrica - Medidas Elétricas, Magnéticas e Eletrônicas, Instrumentação
Pesquisador responsável:Dieter Lubeck
Beneficiário:Dieter Lubeck
Empresa:T-Jump Tecnologias Ltda
CNAE: Desenvolvimento e licenciamento de programas de computador não-customizáveis
Consultoria em tecnologia da informação
Tratamento de dados, provedores de serviços de aplicação e serviços de hospedagem na internet
Vinculado ao auxílio:18/00601-8 - Radar de sensoriamento remoto transportado por drone, AP.PIPE
Assunto(s):Radar   Sensoriamento remoto   Mapeamento   Monitoramento   Aeronaves não tripuladas   Protótipo   Agricultura de precisão

Resumo

O projeto apresentado tem como objetivo principal o desenvolvimento de um protótipo de sistema para mapeamento e monitoramento por radar, a ser transportado por drone de classe 3 (peso máximo de decolagem até 25 kg), a partir de um demonstrador tecnológico já desenvolvido pela Radaz com recursos próprios, denominado DBSS (Drone Borne Survey System) e protegido por dois pedidos de patentes. O protótipo já considera a Resolução nº 419/17, de 02 de maio de 2017, emitida pela ANAC para regulamentação de utilização civil de RPA's, popularmente chamadas de drones, que permite a operação comercial de drones classe 3 em até 120m de altura sem necessidade de pilotos habilitados. O DBSS será o primeiro sistema de imageamento por radar no mercado mundial com peso entre 1 e 4 Kg, dependendo da configuração, incluindo um sistema inercial de navegação próprio e que oferece a operação em três bandas (C, L e P) distintas simultaneamente, ainda em modo interferométrico e polarimétrico que permite monitorar a altura da vegetação, a biomassa, a umidade de solo e falhas na safra, além de planimetria e topografia, entre outros. Dessa forma, o DBSS fornece informações inéditas ao mercado, onde veremos que o mais significante é o da agricultura. Segundo as pesquisas das faculdades FEAGRI e FEEC da UNICAMP, onde a Radaz também colabora, o DBSS resultará em um aumento da produção de cana-de-açúcar estimado em até 30% e em uma redução dos custos de produção em pelo menos 20%. Dados atuais do IBGE indicam que a agropecuária é responsável por 23% do PIB do país, reforçando o grande potencial de mercado do DBSS e seu impacto positivo nesta produtividade. Para a melhor operabilidade pelo usuário, a proposta inclui também o desenvolvimento de um aplicativo específico para a produção de cana-de-açúcar, que vai facilitar altamente a alimentação de "big data", necessário para orientar futuramente na tomada de decisão do produtor rural dentro do contexto de "e-agriculture", conforme publicado em dezembro 2017 pela Coordenadora do programa de Bioenergia Maria Fernanda Ziegler da Agencia FAPESP. O projeto é bastante promissor. É prevista a venda de mais de 8000 sistemas DBSS até 2024. (AU)