Busca avançada
Ano de início
Entree

Respostas dós Linfócitos T e aptidão cardiorrespiratória Èm adultos: papel do tecido adiposo visceral e via dè sinalização mTORC1 e mTORC2

Processo: 18/23402-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2019
Vigência (Término): 30 de novembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Metabolismo e Bioenergética
Pesquisador responsável:Fábio Santos de Lira
Beneficiário:Camila de Souza Padilha
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente , SP, Brasil
Assunto(s):Exercício físico   Inflamação   Imunometabolismo

Resumo

Comportamento sedentário, inatividade física e nutrição não saudável são fatores centrais que contribuem para o aumento da adiposidade corporal, especialmente o tecido adiposo visceral. O nível de aptidão cardiorrespiratória é considerado um potencial modificador da associação inversa entre obesidade visceral e mortalidade. Combinada a esses fatores, a inflamação de baixo grau promove a resistência à insulina e à adiponectina, e a desregulação do sistema imune adaptativo, bem como dos linfócitos T. A demanda energética dos linfócitos T é regulada por sensores de nutrientes, como a mTORC, na qual contribui positivamente para o crescimento e proliferação celular e regula a função dos linfócitos T reguladores. Portanto, o objetivo deste estudo é investigar em mulheres e homens o impacto das vias mTORC1 e mTORC2 na regulação de linfócitos Treg e Th17, e as respostas inflamatórias de acordo com o baixo nível de aptidão cardiorrespiratória e alta adiposidade visceral, e alto nível de aptidão cardiorrespiratória e baixa adiposidade visceral em mulheres e homens. Uma triagem inicial será realizada para medir e classificar a composição corporal dos indivíduos e os hábitos nutricionais. Serão recrutados participantes com idade entre 18 e 35 anos. Um teste incremental máximo será realizado para determinar o limiar aeróbico e anaeróbico, capacidade aeróbica e potência aeróbica. Amostras de sangue serão coletadas para as medidas de STAT3, STAT5, TNF-±, IL-1 -ra, IL-6, IL-12, IL-4, IL-10, MCP-1, insulina e cortisol. Em cultura de célula, os linfócitos T serão tratados com IL-2 para se diferenciar em Treg ou IL-6 para se diferenciarem em Th17. Após a diferenciação, Treg e Th17 serão tratados com rapamicina ou leucina (inibidor de mTORC1 e estimulador, respectivamente) e torina 1 ou PIP3 (inibidor de mTORC2 e estimulador, respectivamente). Os níveis de TNF-±, IL-6, IL-12, IL-4 e IL-10 serão determinados no meio de cultura. A análise estatística será realizada utilizando o SPSS versão 24 e o GraphPad Prism v.7.0. A normalidade dos dados será avaliada pelo teste de Shapiro-Wilk. A equação de estimação generalizada (GEE) e os modelos lineares generalizados (GLM) serão usados para comparações entre grupos. Em todas as análises, a significância será estabelecida em p < 0,05.