Busca avançada
Ano de início
Entree

Adaptações de árvores ao fogo: uma comparação entre savanas Africanas e Brasileiras

Processo: 19/24989-8
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 31 de maio de 2020
Vigência (Término): 29 de novembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Botânica Aplicada
Pesquisador responsável:Alessandra Tomaselli Fidelis
Beneficiário:Marco Antonio Chiminazzo
Supervisor no Exterior: Tristan Charles-Dominique
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Local de pesquisa: Université Paris-Sorbonne (Paris 4), França  
Vinculado à bolsa:18/21300-6 - A proteção de gemas aéreas em plantas lenhosas ocorre em resposta ao fogo no Cerrado?, BP.MS
Assunto(s):Regeneração (fenômenos biológicos)   Gramíneas   Cerrado   Savana   Brasil   África

Resumo

Savanas são definidas pela coexistência de espécies graminoides e lenhosas. As propriedades do estrato graminoide impactam diretamente a funcionalidade dos ecossistemas savânicos, determinando, por exemplo, seus graus de inflamabilidade. Uma grande diversidade de fisionomias é encontrada no Cerrado (savana Brasileira), com quantidades de coberturas de gramíneas C4 e espécies lenhosas resultando em regimes de fogo contrastados. Essa característica faz com que as savanas Brasileiras sejam distintas das savanas Africanas, embora expostas ao mesmo distúrbio. O rebrotamento é a estratégia mais importante utilizada por espécies lenhosas para superar eventos de fogo frequentes, permitindo que a planta reconstitua suas estruturas aéreas depois de serem consumidas pelas chamas. Para serem capazes de rebrotar, as plantas necessitam que suas gemas estejam protegidas do fogo, seja abaixo do solo ou abaixo de camadas anatômicas especializadas como a casca. Enquanto estudos documentam com a proteção de gemas pela casca e espessura da casca explicam como espécies sobrevivem a frequentes eventos de fogo na África, pouco se sabe sobre como esses dois atributos influenciam regras locais e globais para a regeneração de savanas. Dessa forma, esse projeto almeja elucidar essa questão através da análise de proteção de gema e investimento em produção de casca como determinantes para performance das espécies de savanas Brasileiras e Africanas, com o objetivo de compreender quais regras de regeneração de aplicam de forma global para ecossistemas savânicos. (AU)