Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência das condições socioambientais na incidência de hipertensão arterial sistêmica

Processo: 19/21219-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2020
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Pesquisador responsável:Sílvia Carla da Sílva André Uehara
Beneficiário:Ana Cristina Ribeiro
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Atenção primária à saúde   Hipertensão   Registros médicos   Análise socioambiental   Indicadores ambientais   Indicadores sociais   Estudos ecológicos   São Carlos (SP)

Resumo

A Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) é considerada um problema de saúde pública e o número de pessoas com o diagnóstico da doença tem aumentando cada vez mais. Ressalta-se que o número crescente de hipertensos pode estar relacionado com condições socioambientais vulneráveis, uma vez que a HAS é multifatorial e está associada com o ambiente e as condições que a pessoa está exposta. Assim, a pergunta-problema deste estudo consiste em: Quais são as condições socioambientais que podem influenciar na incidência e variabilidade das taxas de Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS)? Este estudo tem como objetivo a avaliar a influência das condições socioambientais na incidência e variabilidade das taxas de HAS. Trata-se de um estudo ecológico de grupos múltiplos e de abordagem quantitativa. Esta pesquisa será realizada na área de abrangência de duas Estratégias Saúde da Família (ESF) do município de São Carlos-SP. Os dados serão coletados mediante acesso a duas fontes distintas, serão utilizados dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), especificamente da "Pesquisa Nacional de Saúde - 2013: Percepção do estado de saúde, estilos de vida e doenças crônicas do Brasil, Grandes Regiões e Unidades da Federação e em relação ao perfil socioeconômico e epidemiológico da população do estudo, os dados serão coletados do E-SUS e da Ficha A (ficha de cadastro que consta nos prontuários) de cada ESF. Os dados serão analisados por meio de medidas de centralidade, medias, de associação e de frequências relativa e absoluta. Para alcançar os objetivos deste estudo pretende-se utilizar os testes estatísticos para a determinação de significância, proporcionalidade e contingencia, a saber: Teste de Kruskal-Wallis com Correção de Yates para as proporções observadas e esperadas; Modelo Multinominal Nominal para as razoes de chance (odds-ratio) e o Teste de Wald para sua amplitude. A coleta de dados será iniciada após a aprovação do estudo pelo Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).