Busca avançada
Ano de início
Entree

Disrupção da resistência tumoral através de terapia direcionada a depleção de células tronco tumorais em carcinomas espinocelulares de cabeça e pescoço

Processo: 19/21898-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2019
Vigência (Término): 30 de novembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Pesquisador responsável:Pablo Agustin Vargas
Beneficiário:Guilherme Zweig Rocha
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Piracicaba , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/05710-4 - Disrupção da resistência tumoral através de terapia direcionada a depleção de células tronco tumorais em carcinomas espinocelulares de cabeça e pescoço, AP.TEM
Assunto(s):Células-tronco   Neoplasias de cabeça e pescoço   Patologia

Resumo

Os carcinomas espinocelulares de cabeça e pescoço (CECP) constituem um dos seis tumores malignos mais comuns no mundo. Dentre as diferentes modalidades terapêuticas para este tipo de câncer, quimioterapia utilizada como terapia neo-adjuvante e adjuvante a radioterapia ou cirurgia tem mostrado benefícios na sobrevida. Porém, quando comparado a outros tipos de câncer, como leucemia infantil e doença de Hodgkin, a melhora do tratamento de CECP em estágio avançado com quimioterapia é modesta e a principal causa destas falhas está baseada na resistência tumoral aos quimioterápicos. Dentre os vários mecanismos de resistência a quimioterapia em CECP, nosso grupo vem demonstrando (i) o papel das modificações epigenéticas como a acetilação de histonas, (ii) a ativação da via de sinalização do NFºB e a (iii) presença de células tronco tumorais (CTT). Nossos achados prévios demonstraram que a ativação da via de sinalização de resistência do NFºB está diretamente correlacionada com a desacetilação das histonas tumorais e ao acumúlo de CTTs. Subsequentemente nós descobrimos que a acetilação farmacológica das histonas induz a redução do número de CTTs. Como o perfil da acetilação de histonas é de extrema importância para a transcrição e ativação de genes envolvidos na manutenção de CTT e na ativação da via de sinalização do NFºB, nós propomos que o desenvolvimento de um novo regime terapêutico para os CECP usando drogas epigenéticas (epi-drugs) capazes de inibir a histona deacetilase (iHDAC) em combinação com o uso do inibidor seletivo de fosforilação do IkB± (NFºB super repressor). Nós antecipamos que a utilização desta nova proposta terapêutica deva resultar no rompimento da resistência tumoral à quimioterapia a base de platina. É importante salientar que a inibição da fosforilação do IkB± resulta na inibição seletiva do NFºB independentemente dos efeitos secundários observados durante a administração de outros inibidores como o Bortezomib e o Velcade (inibidores de proteossomos). A inibição seletiva de fosforilação do IkB± é alcançada através da administração de baixos níveis de Emetina, uma droga rotineiramente utilizada no tratamento de infecção por protozoário e notoriamente bem tolerada pelos pacientes. A nossa proposta é inovadora e aborda a inibição da resistência tumoral a quimioterapia e o melhor entendimento sobre o mecanismo de regulação das CTT. Este projeto envolve a cooperação entre a UNICAMP, a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e a University of Michigan (UMICH). O projeto está dividido em 3 capítulos: (i) Determinação da eficiência terapêutica dos inibidores de HDAC e do IkB± na depleção de CTT e sensibilização de linhagens celulares de CECP a Cisplatina (Terapia de Sensitização). (ii) Determinação da eficiência terapêutica dos inibidores de HDAC e do IkB± em modelo de xenoenxertos utilizando fragmentos de CECP de língua provenientes de pacientes e implantados em camundongos Nude (Patient Derived Xenografts - PDX). Será avaliado o efeito clínico das terapias na redução dos tumores bem como, seu papel no controle da população de CTT e mapeamento do perfil epigenético dos CECP (ChIP-seq). (iii) Avaliar as modificações genéticas e epigenéticas ocorridas in vivo após a utilização da terapia de sensibilização seguido pela administração de Cisplatina em CECP. Serão construídos arranjos em matriz de amostras teciduais (TMAs) com os tumores derivados dos PDX tratados com SAHA® e Emetina® para caracterizar a eficiência terapêutica e as modificações genéticas e epigenéticas nos tumores após os diferentes tratamentos. Em conjunto, o projeto proposto investigará eventos clínicos, celulares e moleculares desconhecidos que envolvem o controle de CTTs no contexto de CECP e os mecanismos epigenéticos relacionados a resposta tumoral frente a combinação de drogas antitumorais.