Busca avançada
Ano de início
Entree

Produção de biossurfactante por Rhodotorula mucilaginosa utilizando resíduos de cervejaria como substrato

Processo: 19/09531-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2020
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Iolanda Cristina Silveira Duarte
Beneficiário:Mariana Amaral Azevedo
Instituição-sede: Centro de Ciências Humanas e Biológicas (CCHB). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). Sorocaba , SP, Brasil
Assunto(s):Fermentação   Anti-infecciosos   Biomassa   Biossurfactantes   Rhodotorula   Leveduras   Espectroscopia de infravermelho com transformada de Fourier

Resumo

Biossurfactantes são produzidos por microrganismos e possuem características emulsificantes e tensoativas, que podem ser aplicadas em diversas áreas abrangendo desde indústrias petrolíferas à produtos de higiene pessoal. Os biossurfactantes possuem alta biodegradabilidade e podem ser sintetizados a partir de substratos oriundos de biomassa residual agroindustrial. O Brasil se destaca no setor agrícola-industrial e muitos resíduos são gerados. A valorização dessas biomassas por meio de reutilização para fins comerciais pode ser um atrativo para empresas e consequentemente para o ambiente. Dessa forma, o projeto tem como objetivo principal avaliar a produção de biossurfactantes por Rhodotorula mucilaginosa utilizando resíduos de cervejaria (bagaço de malte) como substrato. O bagaço de malte será caracterizado quimicamente e submetido a diferentes pré-tratamentos para que os açúcares estejam biodisponiveis para a levedura. Confirmada a capacidade de produção de biossurfactante serão realizados os testes de emulsão, carga iônica, estabilidade e colapso de gota. O biossurfactante será extraído e analisado por espectroscopia de infravermelho com transformada de Fourier (FTIR) para caracterização química parcial e avaliado quanto a atividade antimicrobiana. Por fim, o presente projeto poderá auxiliar na valorização de biomassa utilizando-a na produção de biossurfactantes a partir de leveduras.