Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização celular dos nichos hematopoéticos de modelo murino da anemia falciforme

Processo: 19/22155-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2020
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Simone Kashima Haddad
Beneficiário:Felipe Augusto Rós
Instituição-sede: Hemocentro de Ribeirão Preto. Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP (HCMRP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/08135-2 - CTC - Centro de Terapia Celular, AP.CEPID
Assunto(s):Anemia falciforme   Células-tronco mesenquimais   Baço   Hematologia   Medula óssea

Resumo

O nicho hematopoético é um microambiente altamente dinâmico, orquestrado e heterogêneo quanto aos tipos celulares que o compõem. Este microambiente atua na regulação do sistema hematopoético, que é o responsável pela produção de todas as células sanguíneas do organismo em homeostase ou estresse. Dentre os tipos celulares que compõem o nicho estão as células estromais mesenquimais multipotentes (MSC, do inglês multipotent mesenchymal stromal cell) que junto aos demais componentes tem a função de suportar e regular a autorrenovação e diferenciação das células tronco hematopoiéticas (HSC, do inglês hematopoietic stem cells). O estudo das MSC da medula óssea (MO) de indivíduos afetados por outras desordens hematológicas, como humanos e modelo murino afetados por anemia aplástica e anemia de Fanconi, respectivamente, revelaram alterações morfofuncionais nestas células. Neste sentido, esta proposta investigará as alterações causadas pela Anemia Falciforme (AF) nas populações celulares do nicho hematopoético intramedular e extramedular esplênico de camundongos transgênicos utilizados como modelo para o estudo da doença, além de analisar morfofuncionalmente as MSC presentes nestes nichos. Para tal, serão descritas as populações de células hematopoéticas e estromais da MO e do baço. Adicionalmente, as MSC serão caracterizadas in vitro quanto às suas características morfofuncionais relacionadas à manutenção e regulação da HSC na condição de AF. Os resultados obtidos poderão contribuir para o entendimento das alterações causadas pela doença no nicho hematopoético e elucidação da fisiopatologia da AF nos camundongos Berkeley.