Busca avançada
Ano de início
Entree

O lugar do sagrado na territorialização quilombola: a devoção na comunidade do Ribeirão Grande -Terra seca

Processo: 19/04964-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2020
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Geografia - Geografia Humana
Pesquisador responsável:Valeria de Marcos
Beneficiário:Lucas Martines de Azevedo da Silva
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Geografia agrária   Afrodescendentes   Religiões   Quilombos   Territorialização

Resumo

A história das comunidades quilombolas é essencial para se compreender a influência afrobrasileira na formação socioespacial do país. Quilombo é uma formação social, dinâmica e complexa que se originou a partir da desagregação de pessoas negras da condição do trabalho escravo, fundando uma organização social que estabelecia um modo de vida e produção comunal e/ou coletivo, reafirmando neste sistema diversos elementos culturais que mantém vivo práticas afrodescendentes reformuladas no território brasileiro. O sagrado é um destes elementos de extrema importância para a manutenção da identidade quilombola, com grande significado para criação de práticas de resistências e para o fortalecimento de laços comunitários. A dimensão quilombola em que se assenta estas práticas é a devoção, uma dimensão subjetiva, essencial para a afirmação da identidade, e coletiva, essencial para a organização do grupo. No Vale do Ribeira, há uma forte presença de comunidades quilombolas, dentro do Mosaico de Unidades de Conservação do Jacupiranga se encontra a Reserva de Desenvolvimento Sustentável dos Quilombos de Barra do Turvo, uma organização que contempla três quilombos (Pedra preta-Paraíso, Cedro e Ribeirão Grande-Terra Seca). A formação destes quilombos, em especial o Ribeirão Grande-Terra Seca, apresenta a religião como um elemento imanente para a territorialização destas comunidades. Esta pesquisa busca compreender a formação deste território à luz da compreensão religiosa dos seus integrantes.