Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos do exercício aeróbio de baixa intensidade nas alterações morfológicas e no estresse oxidativo do músculo esquelético de camundongos mdx

Processo: 19/15155-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2020
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Anabelle Silva Cornachione
Beneficiário:Rosangela Aline Antão
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Distrofia muscular de Duchenne   Reabilitação   Regeneração   Estresse oxidativo   Camundongos endogâmicos mdx   Treinamento aeróbio

Resumo

Distrofia Muscular de Duchenne (DMD) é a mais comum e mais severa distrofia muscular que acomete em torno de 1 a cada 5.000 meninos nascidos vivos. A DMD se caracteriza pela ausência da proteína distrofina devido a uma mutação da região Xp21 do cromossomo X. A ausência desta proteína determina lesões recorrentes no tecido muscular progredindo à necrose e fraqueza generalizada, ocasionando óbito do paciente por falência respiratória e/ou cardíaca. O aumento do stress oxidativo dessas fibras pode ser um dos indutores da lesão celular, acelerando o processo degenerativo. Para minimizar e até retardar a progressão da doença, estudos buscam recursos terapêuticos, como o exercício físico de baixa intensidade. Sendo assim, o objetivo deste estudo será analisar os efeitos do exercício aeróbico de baixa intensidade nos aspectos morfológicos gerais e no estresse oxidativos do músculo esquelético de camundongos mdx. Métodos: Serão utilizados 18 camundongos machos divididos em três grupos de animais mdx (n= 6 C57BL/10-Dmdmdx Sedentários), (n=6 - C57BL/10-Dmdmdx Exercitados) e wild type (n= 6 C57BL/10 Sedentários) e (n=6 - C57BL/10-Dmdmdx Exercitados). O treinamento contará com uma caminhada leve em esteira plana por 37 dias. Após experimentos, os animais serão eutanasiados e o músculo será excisado para análises qualitativa e quantitativa através das técnicas de coloração Hematoxilina-Eosina e de Imunofluorescência. Resultados esperados: Após o treinamento, esperamos observar melhora da citoarquiterura das fibras musculares dos animais distróficos.