Busca avançada
Ano de início
Entree

Microcápsulas fertiliberadoras de PVA/amido contendo macro e micronutrientes para uma agricultura sustentável

Processo: 19/21669-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2020
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química
Pesquisador responsável:Roselena Faez
Beneficiário:Felipe Bernegossi Villa
Instituição-sede: Centro de Ciências Agrárias (CCA). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). Araras , SP, Brasil
Assunto(s):Polímeros (química orgânica)   Agricultura sustentável   Biopolímeros   Lixiviação   Amido   Fertilizantes   Spray drying

Resumo

Tendo em vista o aumento populacional, a necessidade de ampliar-se a produção de alimentos. Na agricultura, o fertilizante e utilizado para repor os nutrientes do solo de maneira rápida e aumentar produtividade, mas, ao mesmo tempo, há um problema: a lixiviação dos nutrientes. Como solução temos a liberação controlada de fertilizantes, que supriria a necessidade da cultura nos momentos iniciais e posteriores, e como consequência reduziria o problema de lixiviação. A microencapsulação de nutrientes com polímeros se mostra uma alternativa viável, porem muitas vezes são usados polímeros sintéticos e não biodegradáveis, o que torna a ideia insustentável. Como alternativa, o projeto sugere a formação de microcápsulas a partir do uso do amido, um biopolimero de baixo custo e ambientalmente amigável recoberto por poli (alcool vinilico) (PVA) um polímero que mostra alto potencial de biodegradação quando utilizado juntamente com o amido. As microcápsulas serão formadas pela técnica de spray drying utilizando um bico atomizador triplo fluido, onde as camadas interna e externa serão compostas por amido/micronutrientes e PVA/macronutrientes, respectivamente. Será utilizado o corante Rodamina B para caracterização das microcápsulas e para testes de liberação em água, tendo em vista a afinidade do amido com o corante. Os materiais desenvolvidos serão caracterizados estrutural, térmica e morfologicamente. Espera-se que os resultados possam contribuir positivamente para o desenvolvimento de fertilizantes ambientalmente amigáveis para uma agricultura sustentável.