Busca avançada
Ano de início
Entree

Ruidologia: intensidade, percepção e poéticas audiovisuais ruidosas

Processo: 19/05083-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2019
Vigência (Término): 31 de março de 2023
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Artes - Cinema
Pesquisador responsável:Cristian da Silva Borges
Beneficiário:Rodrigo Faustini dos Santos
Instituição-sede: Escola de Comunicações e Artes (ECA). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Cinema experimental   Ruído   Percepção   Estética do cinema

Resumo

Certos filmes, apostando em estéticas de excesso, na incorporação intensa de defeitos técnicos ao longo da criação da obra (na contramão, assim, dos modelos regulatórios e normativos da forma cinematográfica padrão e suas imagens narrativo-representacionais), constroem sistemas audiovisuais de aparência caótica e desordenada. Buscam suscitar, assim, intensidades sensoriais no espectador, que, desnorteado de seus modos banais de apreensão da obra audiovisual, é levado a desterritorializar suas distinções entre informação e ruído, forma e caos, constituindo o que pretendo denominar "efeito de ruído" no cinema. Identificando e investigando tal "efeito de ruído", enquanto problemática estética e informacional, esse projeto de pesquisa o encontra particularmente elaborado no cinema experimental, seja em obras que apostam em estruturas caóticas para sua construção (como no chamado Cinema Estrutural) ou obras de cineastas como Paolo Gioli, Stan Brakhage, Ken Jacobs e Patrick Bokanowski, que propõem visualidades anômalas, muitas vezes próximas do informe, alterando os "filtros" do dispositivo, incorporando ruídos, visando uma multiplicidade do olhar e das formas. Por fim, um modo mais extremo de busca pelas intensidades trazidas pelo ruído será investigado nas obras de Paul Sharits e do casal Wilhelm e Birgit Hein, instigado por discussões estéticas de Cecilia Malaspina, Michel Serres e Laura Marks acerca do ruído enquanto uma instância positiva à percepção e à cognição. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa: