Busca avançada
Ano de início
Entree

Seleção de modelo de armadilha de semioquímicos, aperfeiçoamento de atraentes e determinação do nível de controle para o manejo da Broca-do-Café, Hypothenemus hampei (Ferrari)

Processo: 19/20179-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2019
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia
Pesquisador responsável:José Maurício Simões Bento
Beneficiário:Fernando Zanotti Madalon
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Ecologia química   Semioquímicos   Manejo integrado de pragas   Cafeicultura   Broca-do-café   Armadilhas

Resumo

A Broca-do-Café, Hypothenemus hampei (Ferrari) é a praga mais destrutiva do café em todo o mundo. Os métodos disponíveis para o manejo deste inseto são limitados e baseiam-se, principalmente, em estratégias de monitoramento imprecisos e de alto custo. Apesar do uso de armadilhas etanólicas serem utilizados para este fim, os resultados são ainda pouco representativos. Propõe-se neste projeto o desenvolvimento de uma nova estratégia de monitoramento e manejo para esta praga, incluindo um novo modelo de armadilha, a adição de novos atraentes, o estabelecimento de um Nível de Controle (NC) e a redução na captura de insetos não alvos (parasitoides, predadores e polinizadores). O primeiro passo será a seleção da melhor armadilha, comparando-se cinco modelos de armadilhas diferentes, sendo três nunca anteriormente testadas, que serão comparados aos modelos Iapar (caseiro) e Biocontrole Broca (comercializado no Brasil). Em seguida, o raio de ação do modelo selecionado será determinado por meio da liberação e recaptura das Brocas-do-Café. Posteriormente, a captura de femêas de H. hampei serão correlacionadas com os danos no fruto do café, para obtenção do nível de controle. Por fim, será feita a otimização dos atrativos, incorporando novos compostos voláteis nas iscas, incluindo voláteis sintéticos presentes na flor e fruto do cafeeiro. (AU)