Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise da resposta de anticorpos policlonais no contexto de infecção e imunização por Influenza A vírus

Processo: 19/20772-4
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2020
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia
Pesquisador responsável:Rafael Elias Marques Pereira Silva
Beneficiário:Rebeca de Paiva Froes Rocha
Supervisor no Exterior: Andrew Barrett Ward
Instituição-sede: Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM). Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (Brasil). Campinas , SP, Brasil
Local de pesquisa : Scripps Research Institute, San Diego, Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:18/02594-9 - Estabelecimento de um modelo de infecção por usutu vírus em camundongos: estudo da doença e teste de um composto neuroprotetor, BP.DR
Assunto(s):Virologia   Vacinas   Influenza   Anticorpos   Resposta imune   Vírus da influenza A

Resumo

A resposta imune adaptativa evoluiu para reconhecer, eliminar e memorizar patógenos. No entanto, os vírus influenza A (IAV) co-evoluiram para driblar o reconhecimento imune adaptativo. Apesar dos esforços em estudar os contextos de doença e imunização, a forma na qual a resposta imune atua contra o IAV e como este vírus escapa do reconhecimento de anticorpos (Ab) ainda não são inteiramente compreendidas. Este conhecimento é imprescindível para a determinação dos melhores alvos para a produção de anticorpos contra IAV e é base necessária para o desenvolvimento de uma vacina universal contra IAV. É um grande desafio obter um entendimento abrangente da resposta imune policlonal à vacinação e infecção por IAV, além de elucidar a dinâmica de respostas específicas a estirpes distintas ou mesmo mecanismos de proteção cruzada. Os recentes avanços tecnológicos possibilitaram uma ideia mais extensa do papel da imunidade humoral contra a infecção por IAV. Apesar disso, as técnicas atuais ainda não são capazes de discernir toda a complexidade das respostas policlonais do Ab (pAb). Uma nova estratégia de imagem para mapeamento de epítopo policlonal, a single particle electron microscopy, foi estabelecida pelo Ward Lab e parece ser capaz de distinguir detalhadamente amostras heterogêneas, pois apresenta sensibilidade necessária para caracterizar a resposta do pAb à vacinação e infecção por IAV. O principal objetivo do trabalho será entender como a imunidade preexistente a um ou mais epítopos virais afetariam as respostas de novo e explorar possíveis reações cruzadas dentro de um indivíduo. A fim de decifrar como ocorre a resposta imune policlonal, propomos mapear a dinâmica da resposta do pAb ao IAV em amostras de soro humano de indivíduos infectados ou vacinados. Esses dados permitirão o desenho racional de imunógenos para obtenção de anticorpos com respostas mais eficientes, que poderão ser testados em modelos animais e, eventualmente, aplicados em seres humanos. (AU)