Busca avançada
Ano de início
Entree

Produção de extratos lipofílicos, substratos químicos e biogás a partir do bagaço de cana-de-açúcar por tecnologias verdes em um conceito de biorrefinaria

Processo: 18/23835-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2019
Vigência (Término): 30 de novembro de 2021
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Química - Processos Industriais de Engenharia Química
Pesquisador responsável:Rubens Maciel Filho
Beneficiário:Daniel Lachos Perez
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia Química (FEQ). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/20630-4 - Desenvolvimento integrado de biorrefinaria e planta de bioetanol de cana-de-açúcar com emissão zero de CO2: rotas para converter recursos renováveis em bioprodutos e bioeletricidade, AP.TEM
Assunto(s):Novas tecnologias   Biorrefinarias   Substratos   Biogás   Bagaço de cana-de-açúcar   Tecnologia ambiental   Digestão anaeróbia

Resumo

A crescente demanda por produtos ambientalmente sustentáveis tem levado ao desenvolvimento de processos que ao mesmo tempo atendam às necessidades dos consumidores e ainda utilizem tecnologias consideradas verdes. Assim, a integração de diferentes processos com o intuito de obter diferentes produtos com maior concentração de compostos alvo a partir da mesma matéria-prima pode ser considerada uma forma de atender tais expectativas. Sabe-se que o bagaço de cana-de-açúcar, vem sendo usado como uma fonte para produção de vapor nas usinas e na produção de álcool 2G. No entanto, devido ao grande número de substâncias com diferentes características químicas relatadas nesta matriz, a possibilidade de integração de processos e obtenção de diferentes produtos é evidente. Assim, o objetivo deste projeto é a produção de diferentes plataformas químicas a partir do bagaço, incluindo extratos lipofílicos, substratos químicos e biogás. Para tal, a presente proposta está estrategicamente estruturada em 3 etapas que estão integradas ao conceito de biorrefinaria: primeiramente, será realizado um pré-tratamento do bagaço com CO2 supercrítico (scCO2), com o intuito de obter-se extratos lipofílicos. Posteriormente, a segunda etapa tem como objetivo a execução do processo hidrotérmico para obtenção de um substrato rico em açúcares hemicelulósicos usando como matéria prima o bagaço pré-tratado na etapa anterior. Por fim, a terceira etapa do projeto visa a obtenção do biogás por meio da tecnologia de digestão anaeróbia em condições mesofílicas, utilizando como substrato o extrato obtido na segunda etapa. Dessa maneira, a fundamentação dessa proposta é aumentar a competitividade econômica do etanol 2G no mercado de combustíveis, visando o aproveitamento integral do bagaço, no conceito de biorrefinaria. Diferentes abordagens de estudo também serão executadas para aumentar a eficiência dos processos em cada etapa do projeto. (AU)