Busca avançada
Ano de início
Entree

Direcionamento da proteína MSP1-19 de Plasmodium vivax para duas subpopulações distintas de células dendríticas utilizando estratégias prime-boost

Processo: 19/20416-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2020
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Aplicada
Pesquisador responsável:Silvia Beatriz Boscardin
Beneficiário:Gustavo Henrique Corrêa Soares
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Imunoparasitologia   Células dendríticas   Malária   Antígenos   Merozoítos

Resumo

A malária constitui um grave problema de saúde pública mundial, tornando-se uma prioridade de pesquisa na área de desenvolvimento de vacinas. Apesar dos contínuos esforços, ainda não existe uma vacina totalmente eficaz contra a doença. Diversas estratégias vacinais têm sido desenvolvidas utilizando diferentes preparações do parasita que induzem proteção apenas parcialmente contra a infecção. Nos últimos anos, o direcionamento de antígenos para células dendríticas (DCs) via anticorpos monoclonais (mAbs) fusionados a proteínas de interesse (mAbs quiméricos) tornou-se uma ferramenta vacinal bastante eficiente para a indução de respostas adaptativas contra patógenos. Desta forma, o presente trabalho tem como objetivo avaliar a indução da resposta imune em animais imunizados com combinações dos mAbs anti-DEC205 e anti-DCIR2. Para tal, utilizaremos combinações dos mAbs quiméricos anti-DEC205 e anti-DCIR2 fusionados à proteína MSP1-19 de Plasmodium vivax acoplada ao epítopo PADRE (Pan-allelic DR epitope). A utilização do fragmento MSP1-19 conjugado ao epítopo PADRE em protocolos de imunização permitirá monitorar tanto a resposta imune celular dirigida contra o PADRE quanto a resposta imune humoral dirigida contra a MSP1-19. Será ainda realizado um desafio com uma linhagem transgênica de P. berghei (parasita murino) expressando a MSP1-19 de P. vivax, afim de avaliar a proteção dos diferentes grupos de animais imunizados. Os resultados obtidos tanto pela análise da indução da resposta imune quanto da proteção mediada por anticorpos anti-MSP1-19 poderão auxiliar o desenvolvimento de vacinas mais eficazes contra a malária e contribuir para a diminuição dos índices de mortalidade e morbidade causados pela doença, principalmente em áreas endêmicas. (AU)