Busca avançada
Ano de início
Entree

Nanocompósitos a base de grafeno para aplicações como sensores de gás

Processo: 19/22899-1
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 28 de fevereiro de 2020
Vigência (Término): 27 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica
Pesquisador responsável:Valmor Roberto Mastelaro
Beneficiário:Bruno Sanches de Lima
Supervisor no Exterior: Brunet Jerome
Instituição-sede: Instituto de Física de São Carlos (IFSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Local de pesquisa : Université Clermont Auvergne (UCA), França  
Vinculado à bolsa:18/07517-2 - Compósitos de grafeno e óxidos metálicos: aplicação como sensores de gases tóxicos, BP.PD
Assunto(s):Materiais bidimensionais   Sensores   Nanocompósitos   Grafenos

Resumo

Os avanços em ciência e tecnologia aumentaram de forma significativa a qualidade, o padrão de vida e da saúde humana, no entanto, muito ainda deve ser desenvolvido no que tange a proteção e controle ambiental. Entre eles, a necessidade do monitoramento em tempo real de gases tóxicos é um dos maiores e mais alarmantes problemas nos dias atuais. Na tentativa de controlar ou remediar este problema, surgiu a necessidade da construção de sensores eletrônicos simples, sensíveis, estáveis e adequados a detecção de pequenas quantidades de diferentes tipos de gases com potencial de aplicações para monitoramento ambiental ou industrial. Materiais como o grafeno, seus derivados, e óxidos metálicos têm sido amplamente estudados como potenciais materiais sensores para este fim. Mais recentemente, nanocompósitos a base de grafeno vem sendo considerados como potenciais candidatos para a próxima geração de sensores portáteis por atuarem em temperaturas próximas a ambiente. Neste contexto, este projeto visa avaliar as propriedades sensoras de materiais compósitos a base grafeno reduzido no que tange sua sensibilidade a polentes gases como sulfeto de hidrogênio e espécies espúrias como dióxido de nitrogênio (NO2), ozônio (O3), e compostos voláteis orgânicos (CVOs). Os sensores desenvolvidos serão avaliados segundo sua sensibilidade, estabilidade e seletividade.