Busca avançada
Ano de início
Entree

Produção das toxinas bacterianas HlyA e CNF1 e seleção de anticorpos recombinantes

Processo: 19/23686-1
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 30 de janeiro de 2020
Vigência (Término): 25 de abril de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Roxane Maria Fontes Piazza
Beneficiário:Bruna Alves Caetano
Supervisor no Exterior: Sachdev Sidhu
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Toronto (U of T), Canadá  
Vinculado à bolsa:16/16188-7 - Anticorpos recombinantes contra as toxinas alfa-hemolisina e CNF1 para o diagnóstico e terapia de Escherichia coli uropatogênica, BP.DR
Assunto(s):Escherichia coli uropatogênica   Toxicologia   Toxinas bacterianas

Resumo

Escherichia coli uropatogênica (UPEC) é a principal causa de infecção do trato urinário (ITU). Dentre os fatores de virulência produzidos pela UPEC, destacam-se a alfa-hemolisina (HlyA) e o fator necrosante citotóxico 1 (CNF1). Essas toxinas tornam-se bons alvos para o diagnóstico e intervenções terapêuticas, uma vez que há necessidade de um método diagnóstico rápido e sensível, além de novas terapias, que permitam maior responsividade no tratamento da ITU, reduzindo o peso social e econômico dessa patologia. Assim, a geração de toxina recombinante que possibilita o desenvolvimento de anticorpos específicos, utilizados posteriormente como ferramentas biotecnológicas, é o objetivo deste trabalho. O uso de anticorpos contra as toxinas HlyA e CNF1 foi descrito na literatura e contribuiu para o desenvolvimento de novas tecnologias para a produção de anticorpos baseados em proteoma humano. São os chamados anticorpos humanos sintéticos ou recombinantes (rAb), obtidos a partir da construção de bibliotecas utilizando várias tecnologias, entre elas a tecnologia de phage display. Como as cepas da UPEC expressam o HlyA e o CNF1, a obtenção de rAbs capazes de reconhecer e neutralizar essas toxinas é uma proposta promissora para o diagnóstico e tratamento da ITU causada pela UPEC. As toxinas bacterianas e os anticorpos recombinantes serão obtidos por meio de técnicas de biologia molecular em colaboração com o Dr. Sachdev Sidhu, pesquisador do The Donnelly Centre, Universidade de Toronto, Canadá, um laboratório integrado com uma plataforma de pesquisa de anticorpos de alto rendimento e aplicado à geração de anticorpos de grau terapêutico contra centenas de antígenos.