Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência das mudanças climáticas sobre a flora amazônica durante o Pleistoceno tardio

Processo: 19/19948-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2019
Vigência (Término): 30 de setembro de 2023
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências
Pesquisador responsável:Paulo Eduardo de Oliveira
Beneficiário:Thomas Kenji Akabane
Instituição-sede: Instituto de Geociências (IGC). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:18/15123-4 - Perspectivas pretéritas sobre limiares críticos do sistema climático: a Floresta Amazônica e a célula de revolvimento meridional do Atlântico (PPTEAM), AP.PFPMCG.JP2
Assunto(s):Palinologia   Mudança climática   Flora   Vegetação   Pleistoceno   Amazônia   Guiana Francesa

Resumo

Durante o Pleistoceno tardio, são reconhecidas diversas mudanças na vegetação Amazônica em resposta à série de oscilações climáticas que afetaram ambos os hemisférios. Uma vez que a vegetação se relaciona intrinsicamente ao clima, essas oscilações pretéritas invariavelmente afetaram a vegetação, no entanto, a extensão e a forma como se deu esta interação ainda permanecem em aberto devido à escassez de dados em alta resolução. O Rio Amazonas transporta para o oceano Atlântico grandes quantidades de pólen provenientes dos diversos ecossistemas que compõe a Bacia do Amazonas. Portanto, depósitos marinhos adjacentes têm o potencial de registrar alterações na composição florística sobre extensas regiões da bacia. O projeto de doutorado proposto será baseado em análises palinológicas, de fitólitos e de partículas de carvão em amostras de sedimentos do testemunho sedimentar marinho GeoB16224-1, coletado no talude continental da Guiana Francesa. O estudo tem como principal objetivo investigar a resposta da vegetação às mudanças climáticas que marcaram o Pleistoceno tardio, entre ca. 47-12.8 ka. Para avaliar o impacto das oscilações climáticas milenares, como eventos Heinrich e Dansgaard-Oeschger, uma resolução de ~250 anos será adotada. Dados já publicados do testemunho GeoB16224-1, que serão integrados aos resultados obtidos neste projeto, incluem resultados analíticos de geoquímica inorgânica e orgânica e demonstram a adequabilidade deste arquivo para estudos de reconstituição paleoambientais da Amazônia. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa: