Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência a longo prazo da artroplastia total de joelho na biomecânica, índice de massa corporal e desfechos clínicos dos pacientes: um acompanhamento de 7 anos

Processo: 19/23228-3
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 17 de junho de 2020
Vigência (Término): 16 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Fábio Mícolis de Azevedo
Beneficiário:Amanda Schenatto Ferreira
Supervisor no Exterior: Jodie Adele Mcclelland
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente , SP, Brasil
Local de pesquisa : La Trobe University, Austrália  
Vinculado à bolsa:18/17106-0 - Qual a importância do índice de massa corporal para indivíduos com dor femoropatelar? Uma investigação do padrão de movimento, aspectos da função muscular e fatores psicológicos, BP.DR
Assunto(s):Biomecânica   Fisioterapia

Resumo

A artroplastia total do joelho (ATJ) é amplamente considerada como a opção de tratamento mais viável e bem-sucedida para melhorar a dor e a qualidade de vida de pacientes com osteoartrite de joelho (OA). Entretanto, muitos pacientes submetidos à ATJ continuam apresentando dor anterior no joelho, comprometimento do desempenho funcional e na biomecânica dos membros inferiores após a cirurgia. Essa biomecânica prejudicada dos membros inferiores pode levar a uma alteração na distribuição de forças impostas a articulação do joelho, que por sua vez pode ser um dos fatores responsáveis pela necessidade de revisão da cirurgia; outro fator comum relacionado a necessidade de revisão cirúrgica de prótese é a presença de elevado índice de massa corporal (IMC). No entanto, a associação entre comprometimentos na biomecânica, IMC e desfechos clínicos de pacientes após ATJ ainda precisa ser investigada imediatamente após a cirurgia e a longo prazo. Entender se esses fatores modificáveis influenciam os resultados clínicos dos pacientes submetidos à ATJ pode auxiliar na compreensão dos fatores subjacentes às altas taxas de insatisfação e revisão dos pacientes após a ATJ. Portanto, o objetivo deste projeto é realizar um acompanhamento de 7 anos de uma coorte de pacientes submetidos à ATJ e participantes controle para investigar a biomecânica do tronco e dos membros inferiores, IMC e desfechos clínicos. Os dados de acompanhamento de sete anos serão derivados de uma coorte (n = 80) que incluiu pacientes submetidos a ATJ (grupo ATJ) e participantes de controle (grupo controle) submetidos a uma avaliação biomecânica no laboratório de marcha da Universidade La Trobe (1 ano após a ATJ). Todos os participantes da coorte original (n = 80) foram convidados por email ou telefone para participar do estudo de acompanhamento, 7 anos após a primeira avaliação realizada (1 ano após a ATJ) e 48 participantes (grupo da ATJ [n = 26 ]; grupo controle [n = 22]) responderam nosso convite e consentiram em participar. Os dados demográficos (idade, altura, massa corporal), o American Knee Society Score (AKSS) e o Total Knee Function Questionnaire (TKFQ) serão coletados antes do teste. Em seguida, os participantes serão submetidos a uma avaliação biomecânica do tronco e dos membros inferiores durante quatro atividades funcionais (caminhada, agachamento em pé enquanto suportam pesos nos dois membros, afundo com o membro operado posicionado na frente do corpo e afundo com o membro operado posicionado atrás do corpo) por meio de um sistema de análise de movimento Vicon MX3 composto por 12 câmeras. Análise de variância multivariada de modelo misto (ANOVA) será usada com o tempo (acompanhamento de 1 ano, acompanhamento de 7 anos) como variável intra-grupo, e o grupo (grupo ATJ, grupo controle) como variável de inter-grupo, para avaliar os efeitos da ATJ na biomecânica do tronco, pelve e joelho e IMC. Uma matriz de correlação produto-momento de Pearson será usada para explorar a associação entre biomecânica do tronco e dos membros inferiores, IMC e desfechos clínicos (dor e capacidade funcional) de pacientes submetidos à ATJ em dois momentos (1 ano após ATJ e 7 anos após ATJ).