Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização morfológica e biomecânica do tecido ósseo reparacional de ratas portadoras de síndrome metabólica e osteoporose, tratadas com risedronato de sódio sistêmico

Processo: 19/26380-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2020
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Cirurgia Buco-maxilo-facial
Pesquisador responsável:Roberta Okamoto
Beneficiário:Juliana de Moura
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba , SP, Brasil
Assunto(s):Osteoporose   Síndrome metabólica   Regeneração óssea   Osso e ossos   Biomecânica   Ovariectomia   Risedronato sódico   Ratas   Análise morfológica   Microtomografia

Resumo

A osteoporose é uma doença metabólica que acomete principalmente mulheres na fase pós-menopausa, tendo como causa principal a deficiência de estrógeno. Outra condição que compartilha as mesmas causas é a síndrome metabólica, caracterizada pela obesidade abdominal, dislipidemia, hiperglicemia e hipertensão. Essas desordens podem levar a diminuição da densidade e massa óssea prejudicando a qualidade do tecido ósseo bem como seu processo de reparação. Caracterizar, do ponto de vista morfológico e biomecânico, o tecido ósseo em ratas ovariectomizadas com síndrome metabólica tratadas com risedronato, fármaco usado na terapia anti-osteoporose. 48 ratas serão divididas em seis grupos experimentais: SHAM: cirurgia fictícia, SHAM SM: cirurgia fictícia com síndrome metabólica, OVX:cirurgia de ovariectomia, sem tratamento medicamentoso, OVX SM: ovariectomia com síndrome metabólica, OVX/RIS: ovariectomia associada ao tratamento com risedronato e OVX SM RIS: cirurgia de ovariectomia com síndrome metabólica associada ao tratamento com risedronato. Passados 30 dias da indução à osteoporose, as ratas serão submetidas ao tratamento medicamentoso com risedronato (0,7 Mg/kg/dia, semanalmente). Após 30 dias, os animais receberão um implante na metáfise tibial para a avaliação biomecânica do reparo ósseo periimplantar. A eutanásia ocorrerá 28 dias após a cirurgia de instalação de implante. Realizada a eutanásia dos animais, será removido o par de fêmures direito e esquerdo e as tíbias contendo os implantes ósseointegráveis que serão submetidos às análises de microtomografia computadorizada, biomecânica e análise de compressão do fêmur. Os dados quantitativos serão submetidos à curva de normalidade para a definição de um teste paramétrico ou não paramétrico, considerando o nível de significância de 5%. (AU)