Busca avançada
Ano de início
Entree

A solidariedade dos abalados na cidade contemporânea: qual o lugar da ação política nos condomínios residenciais populares?

Processo: 19/15057-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2020
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo
Pesquisador responsável:Eduardo José Marandola Junior
Beneficiário:Vitor Sartori Cordova
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Limeira , SP, Brasil
Assunto(s):Sociologia urbana   Antropologia urbana   Solidariedade   Cidades   Bairros   Conjuntos residenciais   Habitação popular   Limeira (SP)

Resumo

Esta pesquisa visa refletir sobre uma possível contribuição do conceito denominado solidarity of the shaken (solidariedade dos abalados) de Jan Patocka aos problemas que atingem a construção do sentido de lugar nas cidades contemporâneas. Tais contrariedades são comumente embasadas pelo planejamento urbano, que engendram um processo onde a existência daqueles abalados como migrantes e populações de baixa renda acaba se tornando secundária aos estudos urbanos. Vide tal situação nas habitações de interesse social, onde as pessoas destes locais são levadas a encararem uma situação ímpar: primeiramente, a mudança brusca a uma área longínqua ou temporariamente desvalorizada da cidade, apartando-se de uma vivência mais participativa no meio urbano; segundo, a necessidade de reconstruir seu lugar e sua identidade com pessoas de diferentes localidades que também buscam sobreviver. Desta forma, almeja-se estudar, através do trabalho de campo, como esta solidariedade é tecida nestes locais projetados, analisando-as nas dinâmicas dos condomínios residenciais populares como os do bairro Residencial Morada das Acácias na cidade de Limeira. A intenção é averiguar como a organização deste coletivo inverte a lógica ordinária estabelecida, a qual seria a de uma adequação a um estilo de vida que nega as diferenças e desigualdades contidas na urdidura da paisagem urbana. Assim, cabe questionar como esta solidariedade serviria para radicalizar o reconhecimento destes seres-no-mundo, na tarefa de repensar quais são as reais possibilidades de ações políticas que possam contribuir para a constatação da existência efetiva desses lugares que se encontram encobertos pelos atuais padrões societários. (AU)