Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação por câmera termográfica de implante 3D de co-poliamida associada à elastômero termoplástico (pctpe) aliado ao enxerto autógeno de omento para reparação de traqueia de coelhos (Oryctolagus cuniculus)

Processo: 19/22896-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2020
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Pesquisador responsável:Paola Castro Moraes
Beneficiário:Isabella Fernanda Bernardo Bini
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Assunto(s):Cirurgia geral   Próteses e implantes   Poliamidas   Reparo tecidual   Câmeras termográficas   Elastômeros   Termoplásticos   Coelhos   Traqueia   Termografia

Resumo

A termografia tem ganhado cada vez mais destaque, pois trata-se de uma técnica não invasiva, indolor, de baixo custo e segura, uma vez que não traz riscos à saúde por dispensar a necessidade do uso de contrastes, sedação e radiação, além de ter potencial para diagnóstico in vivo, proporcionando informações de processos fisiológicos em curso, em tempo real. As cirurgias de reparação traqueal são de grande importância na medicina veterinária, porém ainda apresentam entraves no que diz respeito à aplicação de próteses. O presente trabalho busca analisar a eficiência do uso da técnica de termografia na avaliação da biocompatibilidade em reparação tecidual traqueal, após a colocação do implante 3D de co-poliamida associada à elastômero termoplástico aliado ao enxerto autólogo de omento para reparação traqueal de coelhos, bem como a identificação de processos inflamatórios após a execução do processo cirúrgico. Os animais serão distribuídos em 2 grupos de 12 animais cada, sendo GI (grupo com implante) e GIO (grupo com implante e enxerto de omento). No GI, após realizado o defeito da traqueia, será fixado o implante de PCTPE. No GIO, após fixado o implante será realizado enxerto autólogo de omento. Cada grupo de 12 animais será subdividido (n=4) de acordo com o momento das eutanásias, programadas com intervalo de sete, quinze e trinta dias. Os resultados serão analisados a partir das condições clínicas dos animais, avaliação macroscópica do local da cirurgia e através das imagens termográficas.