Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação microestrutural e de dureza dos aços SAE 1020 e SAE 8620 temperados em meios de alta severidade

Processo: 19/24225-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2020
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2021
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica
Pesquisador responsável:Lauralice de Campos Franceschini Canale
Beneficiário:Marina Eichemberger Martinez Mergulhão
Instituição-sede: Escola de Engenharia de São Carlos (EESC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Engenharia de materiais   Manufatura   Caracterização microestrutural   Propriedades mecânicas   Têmpera   Aço baixo carbono   Aço

Resumo

A elevada temperabilidade de aços se mostra vinculada à presença de elementos de liga, que possibilitam têmperas em meios menos severos os quais são caracterizados por apresentarem baixas taxas de resfriamento. Entretanto, tais elementos de liga encarecem o custo do aço. Considerando-se a possibilidade de desenvolver têmperas com aços de menor custo e atingir valores de propriedades mecânicas próximas às dos aços ligados, o presente estudo utilizará aços carbono e têmperas com meios de alta severidade para se avaliar a capacidade de endurecimento do material. Assim, a pesquisa enfrentará o desafio de trabalhar com aços de baixo carbono, considerados de baixa temperabilidade, os quais necessitam de meios de resfriamento de maior poder de extração de calor às altas taxas para a realização da têmpera. Dessa maneira, busca-se comparar meios de têmpera de diferentes severidades em um aço de baixo teor de carbono e em um aço de liga que apresente maior temperabilidade, verificando os efeitos na microestrutura e dureza. Dentre os meios, será avaliada uma formulação com surfactantes e aditivos iônicos, denominada fastquench. Como fluidos complementares, serão utilizados água, solução aquosa de cloreto de sódio (salmoura), nano fluido e óleo, apenas com fins comparativos, uma vez que este último não é considerado um meio de alta severidade. Serão realizadas curvas de resfriamento e têmperas em amostras de 25 mm de diâmetro por 100 mm de comprimento. Desse modo, espera-se verificar os meios de resfriamento que promoverão melhores características de endurecimento nos aços avaliados. (AU)