Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização da isoforma solúvel da proteína FAS (CD95) na resistência à cisplatina e à apoptose em células de câncer de pulmão utilizando a tecnologia CRISPR

Processo: 19/25731-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2020
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Bioquímica da Nutrição
Pesquisador responsável:Fernando Moreira Simabuco
Beneficiário:Daniel Francisco Guimarães dos Santos Junior
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Limeira , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:18/14818-9 - Estudo de alvos moleculares importantes para o controle do metabolismo em câncer: a via da mTOR/S6K com papel central, AP.JP2
Assunto(s):Biologia molecular   Neoplasias pulmonares   Metabolismo   Isoformas de proteínas   Repetições palindrômicas curtas agrupadas e regularmente espaçadas   Proteína 9 associada à CRISPR   Linhagem celular   Cisplatino   Apoptose

Resumo

O câncer de pulmão aflige milhões de pessoas ao redor do mundo nos últimos anos, e possui um caráter extremamente agressivo, sendo, dentre os tipos de câncer, o mais letal. A proteína FAS é um sinalizador de apoptose que tem sido correlacionada à resistência quimioterápica no câncer de pulmão. O objetivo deste estudo é desenvolver um knockout específico da isoforma solúvel da proteína FAS usando a tecnologia CRISPR/Cas9 e avaliar o desenvolvimento da resistência ao quimioterápico cisplatina em células de câncer de pulmão. Serão utilizadas células de câncer de pulmão A549, tratadas ou não com cisplatina com uma dose que gera resistência ao fármaco. Posteriormente serão avaliados parâmetros celulares relacionados ao câncer, como a viabilidade celular, proliferação e vias celulares associadas a apoptose através de Western blotting. Espera-se obter uma linhagem celular de A549 modificada através de CRISPR/Cas9 que não expresse significativamente a isoforma solúvel de FAS e que tenha uma maior sensibilidade ao tratamento quimioterápico com cisplatina. (AU)