Busca avançada
Ano de início
Entree

Perguntas complexas em línguas indígenas brasileiras: um estudo comparativo entre as línguas Karitiana e Kadiwéu

Processo: 19/11661-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2020
Vigência (Término): 07 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Linguística - Teoria e Análise Lingüística
Pesquisador responsável:Maria Filomena Spatti Sandalo
Beneficiário:Karin Camolese Vivanco
Instituição-sede: Instituto de Estudos da Linguagem (IEL). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Sintaxe   Oração subordinada   Línguas indígenas   Língua Karitiana   Kadiwéu

Resumo

O presente projeto busca investigar a formação de dois tipos de perguntas complexas (perguntas indiretas e perguntas de longa-distância) a partir de duas línguas indígenas brasileiras, a saber: o Karitiana (Tupi) e o Kadiwéu (Guaikuru). Perguntas indiretas são um tipo de oração reportada e subordinada a uma oração matriz (e.g., "Eu quero saber aonde você foi."), enquanto perguntas de longa-distância têm o pronome interrogativo como constituinte de uma oração subordinada (e.g., "Quem você acha que foi pra praia?"). Além de avançar o conhecimento sobre a gramática destas línguas, o projeto também nos ajudará a investigar as relações entre a estrutura das orações subordinadas e a formação de perguntas complexas. Especificamente, vamos avaliar em que medida a presença de núcleos tipicamente oracionais e a ausência de morfologia nominal em orações subordinadas pode afetar as estratégias de construção deperguntas bi-oracionais. Essa discussão será feita através de uma comparação entre Karitiana e Kadiwéu, que exibem um perfil oposto no que tange a subordinação: enquanto o Karitiana possui orações subordinadas nominalizadas, as orações encaixadas do Kadiwéu preservam todosos núcleos funcionais oracionais. Nosso objetivo é então verificar o quanto essas propriedades implicariam na emprego de estratégias diferenciadas para a construção de perguntas complexas em cada uma das duas línguas. Essa discussão será feita a partir da coleta e comparação de paradigmas completos de perguntas indiretas e perguntas de longa-distância nas duas línguas, dados estes que, devido a sua complexidade estrutural, são geralmente pouco reportados nas descrições de línguas minoritárias. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)