Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito de cimentos endodônticos bioativos em células troncos de dentes decíduos esfoliados (SHED)

Processo: 19/10516-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2020
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Odontopediatria
Pesquisador responsável:Luciana Lourenço Ribeiro Vitor
Beneficiário:Laura Giraldi Ferrari
Instituição-sede: CENTRO UNIVERSITARIO SAGRADO CORACAO/IASCJ
Assunto(s):Células-tronco   Cultura de células   Sobrevivência celular   Polpa dentária   Cimentos endodônticos   Dente decíduo   Citometria por imagem   Teste de Tukey

Resumo

O objetivo deste estudo será avaliar o efeito de dois cimentos endodônticos bioativos na viailidade, migração e expressão fenotípica de células troncos de dentes decíduos esfoliados (SHED). As SHED serão obtidas através de cultura primária, provenientes de dentes decíduos livres de cárie, com indicação de extração por razão ortodôntica, de crianças com idades entre 5 e 7 anos, bom estado de saúde, sem comprometimentos sistêmicos. A caracterização das SHED provenientes do explante será realizada por citometria de fluxo pela detecção da expressão positiva (CD105 PerCP-Cy5.5, CD73 APC, CD90 FITC) e negativa (CD45, CD34, CD11b, CD19, HLA-DR PR) dos marcadores de superfície celular. Para análise das propriedades biológicas dos materiais serão determinados os seguintes grupos experimentais: Grupo 1 - Cimento endodôntico MTA HP Repair; Grupo 2 - Cimento biocerâmico (Bio-C Sealer); Grupo Controle - MTA. Para a análise da viabilidade, uma densidade de 1 x104 de SHED será plaqueada, deixada em adesão, submetida a sincronização do ciclo celular e exposta aos meios condicionados com os cimentos endodônticos bioativos de acordo com cada grupo experimental. Após 24, 48, e 72 h a viabilidade celular será avaliada pelo método MTT. Para avaliar o efeito dos diferentes cimentos endodônticos bioativos sobre a migração de SHED, após o plaqueamento e confluência das células, uma "ferida" será reproduzida com a ajuda de uma ponta de pipeta de 200 ul. Em seguida, as células serão incubadas com os meios condicionados com os cimentos biocerâmicos por 48 h e avaliadas em 0, 24h e 48h com microscópio. A análise da expressão fenotípica será realizada concomitantemente pela produção de proteína total e pela atividade da fosfatase alcalina. Após 24 h de incubação com os meios condicionados, e 7 dias em meio osteogênico, a quantidade de proteína total e a atividade da fosfatase alcalina será avaliada por espectrofotometro a 655 nm e 590 nm, respectivamente. A atividade da fosfatase alcalina será calculada pela curva padrão obtida da quantificação da proteína total. As médias e desvio padrão serão testados quanto a normalidade dos dados. Se os dados apresentarem distribuição normal, a comparação intragrupos e intergrupos será realizada pelo teste ANOVA, seguido pelo teste de Tukey. Se os dados não apresentarem distribuição normal, a comparação intragrupos será realizada pelo teste de Friedman e a comparação intergrupos pelo teste de Kruskal-Wallis. Para todos os testes o nível de significância adotado será de 5%.