Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel do sistema endocanabinóide na dor muscular orofacial relacionada à Doença de Parkinson

Processo: 19/18846-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2020
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Pesquisador responsável:Elaine Aparecida Del Bel Belluz Guimarães
Beneficiário:Airam Nicole Vivanco Estela
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/24304-0 - Novas perspectivas no emprego de fármacos que modificam neurotransmissores atípicos no tratamento de transtornos neuropsiquiátricos, AP.TEM
Assunto(s):Fisiologia   Doença de Parkinson   Dor facial   Analgésicos   Canabidiol   Hiperalgesia   Ratos Wistar   Imuno-histoquímica   Estudos experimentais

Resumo

No século atual, grande parte da população é acometida por dores musculares orofaciais de múltiplas origens, seja, por estresse, problemas na articulação, bruxismo, sobrecarga muscular, dor referida, traumas, entre outros. Um porcentual dessa população afetada são os portadores da doença de Parkinson. Estudos demonstram uma associação entre a prevalência da doença de Parkinson e Disfunções Temporomandibulares, sendo as mulheres as mais afetadas. Dessa forma, o objetivo desse projeto é a investigação do efeito de nova terapia analgésica para a sintomatologia dolorosa muscular orofacial relacionada à Doença de Parkinson, com baixa recorrência de efeitos colaterais e testar as condições experimentais propostas em machos e fêmeas fim de abranger uma representatividade mais completa dos efeitos a serem encontrados. Para tanto, serão utilizados ratos e ratas Wistar, com peso médio de 150g no início experimental, que serão divididos em três grandes grupos (modelo parkinsoniano e grupo Sham), subdivididos em três tipos de tratamento (canabidiol - CBD e salina) sendo que o canabidiol (10, 30 e 100 mg/kg) será administrado via sistêmica e local. Inicialmente, será realizada cirurgia estereotáxica para injeção da toxina 6-hidroxidopamina (6-OHDA - grupo parkinsoniano) ou salina (grupo Sham) no feixe prosencefálico medial e um período de 21 dias de recuperação será aguardado para início dos tratamentos e testes motores. Os testes nociceptivos serão: alodinia mecânica por Von Frey (pata e orofacial), alodinia ao frio por teste da acetona, hiperalgesia térmica pelo teste da retirada de cauda e placa quente e hiperalgesia química pelo teste da formalina orofacial. Considerando que as ratas podem ter uma alteração na nocicepção segundo o estágio do ciclo estral (Proestro, Estro, Metaestro, Diestro), definimos um estágio para a avaliação dos testes, por experimentos pilotos já realizados. Após a eutanásia, os músculos masseteres, gânglios trigeminais e encéfalos serão coletados e processados para avaliação imunohistoquímica com marcação para receptores CB1 e CB2, Fos-B e tirosina hidroxilase (TH).