Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do potencial antibacteriano de extratos vegetais para o controle de Lactobacillus fermentum contaminante na produção de etanol carburante

Processo: 19/24098-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2020
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Pedro de Oliva Neto
Beneficiário:Ana Laura Silvério dos Santos
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Letras (FCL-ASSIS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Assis. Assis , SP, Brasil
Assunto(s):Fermentação alcoólica   Antibacterianos   Etanol   Cana-de-açúcar   Extratos vegetais   Lactobacillus fermentum   Saccharomyces cerevisiae

Resumo

O processo de produção de etanol carburante no Brasil é feito a partir da fermentação do melaço de cana, porém este processo não é asséptico e sofre contaminação causada por bactérias, em especial Lactobacillus fermentum, responsável por diminuir a eficiência fermentativa realizada pela levedura Saccharomyces cerevisiae e aumento do custo com insumos. Isto ocorre por competição por nutrientes, com a consequente floculação celular, produção de goma e ácidos. Nas destilarias utilizam-se antibióticos e biocidas com o intuito de inibir a proliferação bacteriana, contudo acabam gerando bactérias resistentes, aumento do custo do processo, além da contaminação química do fermento o que dificulta também a sua comercialização, na forma de farinha de levedura. Para alterar esse cenário, o presente estudo consiste em testar novos antimicrobianos de origem natural, possivelmente presente em extratos vegetais das plantas A. americana, A. classiflora, E. urograndis, P. venusta, S. saponária L, S. campanulata, e T. procumbens L. Os microrganismos usados neste trabalho serão o L. fermentum ATCC 9338 e S. cerevisiae M-26. Inicialmente serão realizados testes de inibição em tubos de ensaio, para determinação da Concentração Inibitória Mínima (CIM) das bactérias por meio dos extratos vegetais. Os extratos com potencial antibacteriano e sem ação antifúngica serão utilizados para extração por solventes orgânicos, com o intuito de potencializar a ação e novamente serão avaliados quanto à CIM. Aqueles que apresentarem as menores concentrações serão utilizados para testes de fermentação alcoólica, simulando a operação industrial em batelada alimentada com culturas mistas de S.cerevisiae e L. fermentum. Serão avaliados o crescimento microbiano, viabilidade celular, acidez e rendimento alcoólico. (AU)