Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência da suplementação com proteína não-degradável no rúmen sobre o consumo, metabolismo e microbiota ruminal de bovinos Nelore recriados a pasto no período das secas

Processo: 19/21280-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2020
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Nutrição e Alimentação Animal
Pesquisador responsável:Telma Teresinha Berchielli
Beneficiário:Ana Veronica Lino Dias
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/22022-4 - Impacto da proteína metabolizável na produção de bovinos de corte e emissão de gases do efeito estufa, AP.TEM
Assunto(s):Alimentação animal   Deficiências nutricionais   Recria   Pastagens   Bovinos de corte   Gado Nelore   Microbioma gastrointestinal   Rúmen

Resumo

O uso de fontes de proteína não degradável no rúmen (PNDR) na fase de recria na época das secas pode ser uma importante estratégia para suprir as deficiências nutricionais da forragem neste período e aumentar a eficiência de utilização de N de animais mantidos em pastagens. Com o presente estudo objetiva-se avaliar a influência da suplementação ou não com proteína não degradável no rúmen sobre o consumo, digestibilidade de nutrientes, metabolismo e microbiota ruminal de bovinos Nelore recriados a pasto no período das secas. Serão utilizados 8 novilhos da raça Nelore com aproximadamente 230 kg de peso corporal, castrados, canulados no rúmen e duodeno, dispostos em quatro quadrados latinos 2x2 (2 tratamentos e 2 períodos), avaliando o T1: animais em pastagem recebendo apenas sal mineral (SM) com uréia; e o T2: animais suplementados com sal mineral e 0,3% PC com fonte de PNDR, a fonte de PNDR utilizada será o glúten de milho 60. Cada animal será mantido em um piquete de 1.8 ha. Serão avaliados o consumo e digestibilidade com base na utilização de dois indicadores, determinando a produção fecal com o oxido de cromo (Cr2O3) e consumo de pasto com base nos dados de produção fecal utilizando a fibra em detergente neutro indigestível (FDNi) como marcador interno. Os parâmetros de fermentação ruminal (pH, amônia e ácidos graxos de cadeia curta) serão avaliados as 0h, 6, 12, 18 e 24 horas após a suplementação dos animais. Também serão avaliados os parâmetros sanguíneos (proteína total, albumina, ureia e aminoácidos essenciais e não essenciais), a diversidade bacteriana ruminal e a eficiência de utilização de aminoácidos. Os dados serão analisados mediante uma ANOVA considerando quatro quadrados latinos 2x2 e as médias serão comparadas utilizando o pós teste de Tukey. (AU)