Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da temperatura no potencial de dispersão do Coral-Sol, Tubastraea coccinea

Processo: 17/04904-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2020
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia de Ecossistemas
Pesquisador responsável:Augusto Alberto Valero Flores
Beneficiário:Damian Mizrahi
Instituição-sede: Centro de Biologia Marinha (CEBIMAR). Universidade de São Paulo (USP). São Sebastião , SP, Brasil
Assunto(s):Comunidades marinhas   Efeitos da temperatura   Larvas   Bentos   Recifes de corais

Resumo

O Coral-Sol Tubastraea coccinea é um invasor predominantemente tropical que emite larvas massivamente durante eventos curtos em diferentes épocas do ano. Em populações marginais da sua distribuição, como as registradas no Estado de São Paulo, Brasil, esses eventos ocorrem tanto no verão quanto no inverno. Contudo, vários estudos prévios reportam efeitos significativos da temperatura sobre a reprodução do coral, sendo esta mais eficiente em águas mais quentes. A presente proposta visa investigar o efeito da temperatura da coluna d'água sobre a produção larval e o desempenho nas fases pelágica e bentônica inicial do Coral-Sol. Num primeiro experimento, com tratamentos de temperatura (T1: 18-20ÚC e T2: 26-28ÚC) aplicados a colônias adultas do coral, será testada a hipótese de que a espécie tem a capacidade de manipular a alocação de recursos para a prole, produzindo larvas com melhor condição fisiológica e maior potencial dispersivo em condições de águas frias, pouco favoráveis para o desenvolvimento de novos recrutas. Para isto será avaliado o número e tamanho das larvas emitidas e o seu conteúdo de reservas lipídicas. Uma segunda experiência, com os mesmos tratamentos térmicos aplicados diretamente sobre as larvas, permitirá testar a hipótese de que baixas temperaturas desaceleram o metabolismo larval, aumentando a sua janela de competência e produzindo recrutas de maior tamanho. Alternativamente, essas condições podem provocar estresse nas larvas, acelerando seu metabolismo e provocando efeitos opostos. A relevância ecológica dos resultados será avaliada através de levantamentos de dados de produção e desempenho larval do Coral-Sol no ambiente natural. A informação gerada permitirá predizer e categorizar áreas susceptíveis à invasão do Coral-Sol, em função da sua localização e parâmetros climáticos, o que subsidiará planos de controle aplicáveis a áreas ainda não invadidas. (AU)