Busca avançada
Ano de início
Entree

De onde vem o látex de Humulus lupulus? análise anatômica, histoquímica e ultraestrutural dos laticíferos

Processo: 19/23977-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2020
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica
Pesquisador responsável:Simone de Pádua Teixeira
Beneficiário:Felipe Paulino Ramos
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Anatomia vegetal   Biociências   Composição química   Látex   Cannabaceae   Humulus lupulus   Histoquímica vegetal

Resumo

O estudo de estruturas secretoras em espécies vegetais tem imenso destaque dentro da Botânica e, até mesmo nas Ciências Biológicas, devido as suas aplicações em diversas áreas do conhecimento humano. Os laticíferos, uma dessas estruturas secretoras, caracteriza-se pela secreção de uma emulsão, denominada látex, responsável por possuir diversos compostos químicos, das mais variadas funções na interação planta-ambiente. Nas espécies da família Cannabaceae, cujos membros incluem a maconha (Cannabis sativa) e o lúpulo (Humulus lupulus), existe uma grande lacuna no conhecimento dessas estruturas. A presença de látex é registrada há muito tempo, porém a caracterização de estruturas correspondentes a laticíferos nunca foi bem definida ou estudada. Assim, este trabalho tem o objetivo esclarecer o tipo (ontogenia), a morfologia detalhada (anatomia e ultraestrutura) do laticífero e a composição química do látex de Humulus lupulus L., por meio de estudos anatômicos e ultraestruturais, e de testes histoquímicos realizados na folha e no caule. Com o acréscimo de informações inéditas sobre os laticíferos, espera-se enriquecer pesquisas futuras e atualizar as informações sobre a espécie e família.