Busca avançada
Ano de início
Entree

Perfil clínico de famílias esporádicas e famílias de múltiplos afetados com Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC)

Processo: 19/23513-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2020
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Psiquiatria
Pesquisador responsável:Eurípedes Constantino Miguel Filho
Beneficiário:Monicke de Oliveira Lima
Instituição-sede: Instituto de Psiquiatria Doutor Antonio Carlos Pacheco e Silva (IPq). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/50917-0 - INCT 2014: psiquiatria do desenvolvimento para crianças e adolescentes, AP.TEM
Assunto(s):Genética   Transtorno obsessivo-compulsivo   Genomas   Qualidade de vida   Estudo clínico

Resumo

Os transtornos psiquiátricos são considerados transtornos que apresentam fatores genéticos e ambientais associados ao risco. Os primeiros estudos que buscaram investigar os mecanismos genéticos em todo o genoma associados com estes transtornos foram os estudos de associação do genoma inteiro (GWAS). Estes estudos investigam mutações no genoma com alta frequência na população conhecidas como mutações comuns. Sabe se que estas mutações em conjunto contribuem para o risco genético destes transtornos, mas que outros mecanismos genéticos também são associados com o risco. Buscando compreender, em uma perspectiva evolutiva, como a prevalência de alguns transtornos mentais permanece levando com consideração a baixa taxa de fecundidade e alta mortalidade dos portadores destes transtornos, alguns estudos mostram maior frequência de mutações raras consideradas de novo (não presente no pai e na mãe), localizadas no exoma e classificadas com deletérias em portadores de transtornos psiquiátricos, cujas famílias são consideradas esporádicas. Famílias esporádicas são aquelas que não têm nenhum membro de primeiro grau na família com o transtorno. Estes mecanismos genômicos de novo também podem ocorrer em famílias com mais de um afetado com o transtorno em questão (famílias de múltiplos afetados) com menor frequência quando comparado com as esporádicas. Apesar deste conceito de esporádico e múltiplos afetados ser utilizado na área da genômica psiquiátrica, pouco são os estudos que investigam esta classificação levando em consideração outras características clínicas dos pacientes e dos familiares de primeiro grau e o impacto que estas características clínicas têm na qualidade de vida destas famílias. Este estudo tem como objetivo investigar variáveis clínicas de 70 famílias de pacientes com TOC que foram classificadas como esporádicas e de múltiplos afetados e observar se estas variáveis estão associadas com a qualidade de vida e se em conjunto podem predizer a classificação genômica das famílias.