Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento e avaliação do potencial anti-inflamatório de um novo fitoterápico enriquecido com o extrato de Caryocar brasiliense Camb. encapsulado em quitosana

Processo: 19/02805-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2020
Vigência (Término): 31 de março de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Etnofarmacologia
Pesquisador responsável:Lucinéia dos Santos
Beneficiário:Mariana Bittencourt Ibe
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Letras (FCL-ASSIS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Assis. Assis , SP, Brasil
Assunto(s):Nanotecnologia   Fitoterapia   Desenvolvimento de fármacos   Medicamentos fitoterápicos   Anti-inflamatórios   Portadores de fármacos   Caryocar brasiliense   Quitosana

Resumo

A fitoterapia é uma ciência que ganhou grande destaque nos últimos anos. Isto porque, além de apresentar um leque de novos compostos que podem ser usados como fármacos, também reforça a importância da valorização da biodiversidade vegetal. Estas duas vantagens da fitoterapia são muito bem apropriadas ao se analisar o fruto do pequi (Caryocar brasiliense Camb.). Este possui concentrações de compostos fenólicos superiores as encontradas na maioria das polpas de frutas consumidas no Brasil. Assim, em razão de suas múltiplas aplicações terapêuticas, os compostos fenólicos já justificam o desenvolvimento de fármacos a partir desta planta. Por outro lado, por ser uma espécie do Cerrado, um bioma brasileiro altamente desmatado e ameaçado pelo avanço da fronteira agrícola e pecuária, o esgotamento do pequi está atualmente previsto. Desta forma, diante desta triste realidade, e considerando o potencial anti-inflamatório dos compostos fenólicos descrito na literatura, este projeto tem por objetivo a elaboração de um fitoterápico a partir do resíduo resultante do processo de extração mecânica do óleo da polpa do pequi, um material que normalmente é descartado. Para isso, a fim de tornar o fitoterápico proposto mais atrativo para os mercados farmacêutico e consumidor, será inserida neste projeto a técnica de nanotecnologia. Esta técnica tem se mostrado como uma aliada no desenvolvimento de fitoprodutos, por agregar benefícios ao mesmo, como a melhoria da qualidade e da estabilidade da formulação. Em seguida, serão realizadas análises da atividade anti-inflamatória do extrato do resíduo do pequi encapsulado. Por fim, o gel enriquecido com o extrato será desenvolvido e análises serão realizadas para comprovar a segurança e qualidade do produto. Este projeto trata-se de uma parceria entre pesquisadores da UNESP de Assis, que buscam, por meio do conhecimento científico, o aproveitamento econômico e a valorização das plantas do Cerrado, e consequentemente, a preservação desse importante bioma.