Busca avançada
Ano de início
Entree

Biogeografia gondwânica: estudo de caso com os peixes Osteoglossiformes (Teleostei, osteoglossomorpha)

Processo: 19/27089-8
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 16 de março de 2020
Vigência (Término): 15 de outubro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Animal
Pesquisador responsável:Luiz Antonio Carlos Bertollo
Beneficiário:Manolo Fernandez Perez
Supervisor no Exterior: Isabel Sanmartin Bastida
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Local de pesquisa : Real Jardín Botánico, Espanha  
Vinculado à bolsa:17/10240-0 - Diversidade genética, biogeografia e evolução de peixes da ordem Osteoglossiformes (Teleostei, osteoglossomorpha), BP.PD
Assunto(s):Peixes   Deriva continental   Biogeografia

Resumo

A ordem Osteoglossiformes é uma das linhagens mais antigas de teleóteos, que apresenta uma ampla distribuição geográfica, o que torna esse grupo um interessante modelo para estudos sistemáticos, biogeográficos e evolutivos. Atualmente, as espécies viventes dessa ordem são encontradas em diversos rios e lagos da América do Sul, África, Ásia e Austrália. Essa ampla distribuição provavelmente contribuiu para a diversidade atual d grupo, que deve estar associada a uma capacidade das espécies de se adaptarem a uma ampla variação de ambientes. De acordo com sua origem muito antiga (~227 Mya), a distribuição atual dos Osteoglossiformes pode ser o resultado de eventos vicariantes posteriores à separação do supercontinente Gondwana no hemisfério sul. No entanto, o registro fóssil e estudos recentes incorporando datações moleculares não suportam completamente essa hipótese. Padroes similares têm sido encontrados em outras linhagens de teleósteos e outros animais, desafiando a hipótese de vicariância Gondwanica. O presente projeto tem como objetivo gerar uma filogenia robusta para os Osteoglossiformes, usando pela primeira vez dados de Sequenciamento de Nova Geração obtidos de Elementos Ultra Conservados (UCEs). Esses dados foram recentemente gerados após uma estadia de cinco meses no laboratório do Dr. Brant Faircloth (Lousiana State University, USA) e estão sendo analisados para gerar centenas a milhares de marcadores. Esses dados de sequenciamento foram obtidos para uma amostra extensiva, incluindo representantes de todas as famílias da ordem Osteoglossiformes. O conjunto de dados será utilizado para realizar inferências biogeográficas com análises Bayesianas, para reconstruir a evolução espaço-temporal e a história de diversificação dos Osteoglossiformes. Serão testados variáveis potencialmente correlacionadas com especiação, extinção e migração concordante com a história geológica da Gondwana, utilizando características funcionais e ambientais por meio de modelos macroevolutivos. Além disso, será realizada uma meta-análise baseada em uma ampla revisão da literatura sobre biogeografia Gondwanica. Serão avaliados potenciais mecanismos biológicos e climáticos de diversificação que poderiam explicar como diferentes grupos taxonômicos alcançaram sua distribuição atual por meio de dispersão ou vicariância. Essa será a primeira vez que as hipóteses Gonwanicas serão estudadas em uma escala tão ampla e profunda. O projeto irá integrar um time de pesquisadores de todos os cinco continentes, que irão auxiliar para garantir o sucesso da pesquisa proposta.