Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo do ciclo do nitrogênio em sistemas estuarinos sujeitos a diferentes impactos de mudanças naturais e antrópicas na costa de São Paulo

Processo: 18/24119-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2020
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Oceanografia - Oceanografia Química
Pesquisador responsável:Elisabete de Santis Braga da Graça Saraiva
Beneficiário:Paula Carpintero de Moraes
Instituição-sede: Instituto Oceanográfico (IO). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Ciclo do nitrogênio   Estuários   Zona costeira   São Paulo

Resumo

Uma combinação de incubações de sedimentos laboratoriais e in situ será aplicada para desvendar a magnitude dos processos sedimentares envolvidos no ciclo do nitrogênio em duas áreas costeiras do Estado de São Paulo. O objetivo é destacar como as condições naturais e atividades antrópicas afetam o ciclo de N. O uso de medidas tradicionais de fluxo associada a técnicas de isótopos permitirá que o ciclo do nitrogênio seja seguido por completo e simultaneamente nos sedimentos incubados. Análises simultâneas de taxas de atividade microbianas e composição e influência da macrofauna serão combinados para gerar uma visão geral do processo sedimentar do nitrogênio ocorrendo no sedimento e a influência da fauna dominante nesses processos. Amostras em diferentes ambientes nutricionais (água doce a marinha), com diferentes graus de preservação (Complexo estuarino de Santos e Complexo Estuarino-Lagunar de Canaéia-Iguape) e sujeitas a diferentes impactos antropogênicos (contaminação por esgoto industrial e/ou doméstico e aquicultura), em diferentes épocas do ano (primavera, verão, outono e inverno) trarão uma melhora no conhecimento do ciclo do nitrogênio em regiões costeiras tropicais, não apenas no Brasil, mas em uma escala global. A análises químicas e de isótopos serão realizadas em cooperação internacional com a Universidade de, e conta com a colaboração de pesquisadores internacionais da Itália e Lituânia. (AU)