Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do impacto da quimioterapia sobre a fertilidade de pacientes portadoras de câncer de mama submetidas a tratamento oncológico

Processo: 19/21699-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2020
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Ana Carolina Japur de Sá Rosa e Silva
Beneficiário:Samara Campos Oliveira Reis
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Reprodução humana   Neoplasias mamárias   Quimioterapia   Tratamento do câncer   Fertilidade   Entrevistas (psicologia)   Inquéritos e questionários   Regressão logística   Prognóstico

Resumo

O câncer de mama é um dos de maior incidência anual, porém melhorias na prevenção e no tratamento têm reduzido a sua mortalidade global. Com o aumento da sobrevida, a atenção às sequelas secundárias ao tratamento ganha importância. Dentre elas, destaca-se a redução da fertilidade ou falência ovariana precoce que pode ocorrer após quimioterapia e radioterapia. A avaliação dessa reserva ovariana e do dano gonadal tem sido feita por meio do retorno dos ciclos menstruais regulares e concentração plasmática normal de FSH. Entretanto, esses métodos são pouco sensíveis, e sua aparente normalidade não necessariamente equivale à fertilidade. Paralelo a isso, é importante a correta orientação das pacientes quanto ao real impacto do tratamento em sua função reprodutiva, a fim de decidirem acerca da preservação de fertilidade. Mas, antes, é imprescindível a existência de informações referentes ao impacto da quimioterapia na fertilidade, a fim de que a equipe médica e a paciente elejam procedimentos de maior ou menor risco dependendo do risco para falência gonadal. Justificativa: o estudo em questão avaliará a fertilidade de mulheres submetidas ao tratamento quimioterápico para câncer de mama individualmente, identificando fatores de prognóstico para falência gonadal. Objetivo: possibilitar melhor norteamento na indicação dos procedimentos para preservar a fertilidade. Método: Trata-se de um estudo transversal que inclui as pacientes sobreviventes de câncer do serviço de mastologia do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, acompanhadas para o tratamento de câncer de mama no período de 2000 a 2010. Serão 3 etapas de trabalho: levantamento da lista de pacientes elegíveis; entrevista por telefone com questionário semiestruturado; e, finalmente, identificação dos fatores de risco para infertilidade neste perfil populacional. As pacientes serão subdivididas em grupo com prole e grupo sem prole, de acordo com o desfecho reprodutivo após a quimioterapia. Um modelo de regressão logística múltiplo será construído com as respectivas variáveis: outcome de fertilidade/gravidez (sim, não) e as variáveis preditoras idade quando fez quimioterapia (anos), classe de quimioterápico (variável categórica com 3 níveis), menarca prévia (binária), tempo total da quimioterapia (meses), radioterapia (sim, não), prole anterior (binária), tempo entre o termino da quimioterapia e o início da tentativa de concepção (meses), hormonioterapia (sim, não). A identificação desses fatores prognósticos servirá de substrato científico para melhor guiar a tomada de decisão sobre o desejo de se submeter ou não a paciente a procedimentos disponíveis para a preservação de fertilidade futura. (AU)