Busca avançada
Ano de início
Entree

Capacidade de adesão de Salmonella em superfícies de contato por inóculo seco com condicionamento

Processo: 19/15671-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2020
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Tecnologia de Alimentos
Pesquisador responsável:Maristela da Silva Do Nascimento
Beneficiário:Isadora Gusson Veronezzi
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia de Alimentos (FEA). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Microbiologia de alimentos   Processamento de alimentos   Atividade de água   Biofilmes   Salmonella

Resumo

Considerando a importância da Salmonella, devido ao seu envolvimento frequente em surtos e doenças de origem alimentar (DTA's) em todo o mundo, entender seu comportamento em ambientes de processamento de alimentos é essencial. Além de apresentar capacidade de formação de biofilme em ambientes úmidos, o patógeno é capaz de permanecer em ambientes com baixa atividade de água por longo período de tempo. Ambas as características influenciam de modo direto no controle do desenvolvimento de Salmonella no ambiente fabril. Portanto, o presente estudo tem como objetivo avaliar o efeito de diferentes matrizes na adesão a seco de Salmonella em aço inoxidável (AI) e polipropileno (PP) com e sem condicionamento. Para tanto, será avaliada a capacidade de adesão a seco de células de Salmonella previamente inoculadas por meio de veículos secos (terra e leite em pó) em cupons de AI e PP, com e sem prévio condicionamento da superfície (leite em pó, película e casca de amendoim triturado). Os dados obtidos com o desenvolvimento desta pesquisa poderão auxiliar em estudos no desenvolvimento de um novo código de práticas higiênicas para produtos de baixa atividade de água. (AU)