Busca avançada
Ano de início
Entree

Controle da genotoxicidade dependente de ferro por derivados de desferrioxamina com alta permeabilidade celular

Processo: 19/21435-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2020
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Maria Teresa Machini
Beneficiário:Lucas Henrique de Castro Ah-Time
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Biomedicina   Genotoxicidade   Permeabilidade   Micronúcleo   Cafeína   Ferro

Resumo

A sobrecarga de ferro é uma condição nociva para os pacientes, que apresentam significativo de-créscimo de qualidade de vida. Paralelamente, o ferro é um nutriente crucial também para parasitas e células tumorais. Quelantes de ferro são moléculas de alta afinidade que apresentam diversas possibilidades de uso clínico: (I) atenuadores da sobrecarga do metal; (II) entregadores de metais tóxicos a alvos selecionados; (III) sequestradores de metais essenciais desses mesmos alvos. A desferrioxamina (DFO), um sideróforo bacteriano, foi o primeiro quelante de ferro de uso clínico aprovado, apresentando elevada afinidade e seletividade por ferro(III). Entretanto, seu uso é limitado por apresentar diminuída penetração celular e baixa absorção gastrintestinal. Nosso laboratório produziu dois derivados de DFO com alta permeabilidade celular, os conjugados DFO-cafeína (DFCAF) e DFO-trifenilfosfônio (TPP-DFO), destinados a, respectivamente, penetrar a barreira hematoencefálica e concentrar-se em mitocôndrias. Neste projeto, pretendemos dar continuidade aos estudos com esses dois conjugados, estudando seus compostos com Fe(III) do ponto de vista estrutural, bem como suas capacidades de mitigar genotoxicidade mediada por espécies de ferro de alta reatividade.