Busca avançada
Ano de início
Entree

Fluxos, especiação e biodisponibilidade de arsênio na interface água/sedimento em lagoas alcalinas do Pantanal de Nhecolândia utilizando DGT

Processo: 19/18124-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2020
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2023
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Anne Helene Fostier
Beneficiário:José Lucas Martins Viana
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/14227-5 - Mudanças climáticas e impactos ambientais em áreas alagadas (wetlands) do Pantanal (Brasil): quantificação, fatores de controle e previsão em longo prazo, AP.PFPMCG.TEM
Assunto(s):Química ambiental   Poluição da água   Contaminantes químicos da água   Biogeoquímica   Biodisponibilidade   Especiação química   Sedimentos   Arsênio   Pantanal   Lagoas   Nhecolândia (MS)

Resumo

O arsênio (As) é um metal abundante na crosta terrestre, ocorrendo em diversos compartimentos ambientais, além de ser disponibilizado por atividades antropogênicas. Nos últimos anos, altos níveis de arsênio (até 4 mg L-1) foram detectados em lagoas alcalino-salinas presentes na região de Nhecolândia, no Pantanal sul-mato-grossense. Essa região é caracterizada por uma das maiores biodiversidades do Pantanal e pela ocorrência de diversas lagoas com características peculiares, como elevado pH (8 - 11) e elevada salinidade. Não obstante, essas lagoas salinas ocorrem lado a lado com lagoas de água doce. O ciclo biogeoquímico do As, bem como sua biodisponibilidade e especiação são pouco conhecidos nesse ambiente. Deste modo, este trabalho visa contribuir para a elucidação do comportamento ambiental do arsênio na região de Nhecolândia, uma vez que se propõe a avaliar a biodisponibilidade, especiação e disponibilização do arsênio, com foco na interface sedimento/água, onde concentrações relativamente baixas (até 20 mg/kg) já foram determinadas, ao contrário do observado na coluna de água e nas águas subsuperficiais em volta das lagoas, onde as concentrações de As podem atingir ate ~4 mg/L. A utilização da técnica de amostragem passiva Difusão em Filmes Finos por Gradiente de Concentração (DGT) constitui um dos pontos centrais deste trabalho. A aplicação do DGT neste estudo visa minimizar problemas associados à amostragem, bem como fornecer informações relevantes como, por exemplo, biodisponibilidade, mobilidade de As na interface água/sedimento, taxa de reposição sedimento-água intersticial, entre outras potencialidades que poderão ser exploradas durante o período sanduiche no laboratório do Prof. Paul N. Williams na Queen's University (Irlanda). Deste modo, ao final deste trabalho, espera-se obter um diagnóstico confiável da contaminação, mobilidade e biodisponibilidade de arsênio na interface sedimento/água das lagoas alcalino-salinas de Nhecolândia.