Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito de scaffolds manufaturados a partir de compostos bioativos de esponjas marinhas no reparo ósseo de ratos

Processo: 19/24598-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2020
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2021
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Renata Neves Granito
Beneficiário:Adriel Filipe Santos Braga da Silva
Instituição-sede: Instituto de Saúde e Sociedade (ISS). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Baixada Santista. Santos , SP, Brasil
Assunto(s):Biotecnologia   Engenharia tecidual   Osteoporose   Tecidos suporte   Compostos bioativos   Reparo ósseo   Osso e ossos

Resumo

Com o aumento da expectativa de vida que vem ocorrendo nos últimos anos, também é previsto um aumento do aparecimento de doenças comuns do envelhecimento, dentre elas a osteoporose, que junto a outras causas como os acidentes de trânsito, contribuem para o aumento da incidência de fraturas ósseas. Nesse contexto, o adequado tratamento para a consolidação dessas lesões pode exigir o emprego de scaffolds, que são matrizes porosas tridimensionais manufaturados a partir de biomateriais, que têm como função criar uma matriz extracelular adequada para a regeneração óssea. Sendo muito promissores e pouco explorados, os biomateriais de origem marinha, como a biosilica e a espongina extraídas de esponjas, possuem grande capacidade osteogênica e altos índices de compatibilidade. Sendo abundantes em território brasileiro e podendo ser obtidos de maneira fácil e econômica, estes compostos bioativos foram previamente testados em estudos com cultura de células e apresentam potencial promissor para o uso na confecção de scaffolds. Sendo assim, este projeto tem como objetivo analisar o potencial osteogênico in vivo de scaffolds híbridos elaborados a partir de espongina, composto orgânico extraído da esponja marinha Aplysina fulva, e biosílica, material inorgânico extraído da esponja marinha Dragmacidon reticulatum, por meio de análises histopatológicas e histomorfométricas. Os resultados obtidos fornecerão dados que serão preciosos para o desenvolvimento, a partir do aproveitamento sustentável da rica biodiversidade brasileira, de biomateriais de alta efetividade, em termos de qualidade e acessibilidade ao cidadão, para o tratamento das afecções do tecido ósseo. (AU)