Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise do colo do fêmur de ratas na periestropausa submetidas a diferentes métodos de treinamento físico

Processo: 19/21335-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2020
Vigência (Término): 30 de junho de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Geral
Pesquisador responsável:Rita Cássia Menegati Dornelles
Beneficiário:Otavio Henrique Breyer
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba , SP, Brasil
Assunto(s):Osteoporose   Perimenopausa   Metabolismo ósseo   Osso e ossos   Treinamento físico   Densitometria óssea   Ensaios mecânicos   Ratos Wistar

Resumo

O envelhecimento é caracterizado pelo acúmulo de danos moleculares e celulares que resultam na incapacidade progressiva de algumas funções. O tecido ósseo, principalmente em mulheres após a menopausa, pode ser bastante acometido pela osteopenia e instalação da osteoporose. Estudos tem evidenciado a eficácia de exercícios aeróbico, força e concorrente na manutenção da saúde óssea e prevenção da perda óssea. Objetivo: O objetivo desse estudo será avaliar o efeito de diferentes métodos de treinamento físico na qualidade óssea de ratas Wistar no período da periestropausa. Método: Este estudo será realizado com 40 ratas da linhagem Wistar com idade inicial de 17 meses e com ciclo estral irregular, mantidas em ambiente com controle de temperatura (22 ± 2°C), umidade (55 ± 10%), ciclo de luz invertido (12/12h), e acesso livre à água e ração (CEUA: 826-2018). Os animais constituirão os grupos: 1- Controle, aderentes ao exercício físico e não submetidas aos treinamentos (NT); 2- Treinamento Aeróbio (TA); 3- Treinamento Resistido (TR); 4- Treinamento Concorrente (TC). Os treinamentos serão realizados segundo protocolos estabelecidos previamente: três vezes por semana, por quatro meses. Após o período de treinamento, serão realizadas as coletas para retirada dos fêmures direitos para análises de densitometria óssea (DEXA), microtomografia óssea (µCT) e ensaio mecânico. O sangue será coletado para análise de marcadores do metabolismo ósseo: atividade da Fosfatase Ácida Resistente ao Tartarato (TRAP) e fosfatase alcalina (FAL). Resultados esperados: Nossa hipótese é de que a realização de exercício físico no período específico da periestropausa possibilitará melhora da qualidade óssea e que o treinamento concorrente contribuirá mais efetivamente para a prevenção da osteoporose primária e efeito antifratura durante o envelhecimento.