Busca avançada
Ano de início
Entree

Identificação de áreas queimadas e análise da regeneração da vegetação por meio de imagens OLI landsat-8: estudo de caso do Parque Nacional de Brasília - DF

Processo: 19/25391-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2020
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geofísica
Pesquisador responsável:Fernanda Sayuri Yoshino Watanabe
Beneficiário:Ana Carolina Norberto Campozano Silva
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente , SP, Brasil
Assunto(s):Áreas de conservação   Incêndios florestais   Planejamento ambiental   Sensoriamento remoto   Monitoramento ambiental   Análise de séries temporais   Relatos de casos

Resumo

Atualmente, dentre as problemáticas ambientais mais recorrentes no Brasil são as queimadas e incêndios florestais, os quais cresceram muito nos últimos anos, embora a preocupação com esse assunto seja antiga. No entanto, a prática de queimadas tem por consequência danos ao equilíbrio ambiental, biodiversidade, ecossistemas, erosão do solo, qualidade do ar, mudanças climáticas, dentre outros, que são ocasionadas principalmente pela expansão agrícola e pecuária. O monitoramento de queimadas e incêndios florestais por meio de imagens orbitais em países de grande extensão territorial como o Brasil é o meio mais eficiente e de baixo custo quando comparado a outros meios de detecção. Neste sentido, este trabalho tem como objetivo principal identificar áreas queimadas no Parque Nacional de Brasília - DF, o qual situa-se no bioma Cerrado, por meio de imagens multiespectrais do sensor orbital OLI Landsat-8. Para isso, serão utilizadas imagens tomadas em duas datas: antes e após a ocorrência do incêndio, assim as imagens serão calibradas radiometricamente e corrigidas atmosfericamente. Para o mapeamento das áreas queimadas, será efetuado transformações espectrais para o realce das feições com e sem vegetação nas imagens. Além disso, imagens tomadas em anos posteriores ao incêndio também serão analisadas a fim de verificar possível regeneração da vegetação no local, por meio da análise de série temporal de imagens. Dessa forma, espera-se que os resultados contribuem como subsídio para ações de planejamento ambiental em unidades de conservação no bioma Cerrado. (AU)