Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da prevalência de alterações nos músculos mastigatórios de Indivíduos com Síndrome de Down

Processo: 19/26050-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2020
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Odontopediatria
Pesquisador responsável:Sandra Kalil Bussadori
Beneficiário:Gabriela de Oliveira Porfirio dos Santos
Instituição-sede: Universidade Nove de Julho (UNINOVE). Campus Vergueiro. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Eletromiografia   Músculos mastigatórios   Síndrome de Down   Prevalência   Inquéritos e questionários

Resumo

A síndrome de Down (SD) é caracterizada, geneticamente, pela presença total ou parcial de um cromossomo extra no par 21, denominada também como trissomia do cromossomo 21. Uma das manifestações encontradas em indivíduos com SD é a hipotonia muscular, em especial, dos músculos mastigatórios e orofaríngeos. Tais músculos podem comprometer ações básicas como deglutição, respiração, fala e como consequência distúrbios do sono. Objetivo: Avaliar prevalência de alterações da atividade dos músculos mastigatórios (músculos temporal, masseter e esternocleidomastóideo), através da eletromiografia, em um público infanto-juvenil com SD. Os pacientes com SD serão recrutados no Ambulatório Integrado de Saúde da Universidade Nove de Julho. Os participantes serão avaliados através de eletromiografia dos músculos masseter, temporal e esternocleidomastóideo, aplicação do protocolo NOT-S a fim de avaliar a disfunção orofacial do indivíduo; além do questionário para Escala de Distúrbio do Sono para Crianças (SDSC). Os dados serão tabulados e tratados no software GraphPad PRISM versão 7.0. Os valores serão testados quanto a sua normalidade pelo teste Kolmogorov-Smirnov, e serão expressos em média e desvio padrão se assumem a curva de Gauss. Após as avaliações os grupos serão divididos de acordo com as alterações encontradas nos músculos mastigatórios. Para comparação entre os grupos será realizado Teste T, considerando um nível de significância de 0,5% (p<0,05). (AU)