Busca avançada
Ano de início
Entree

Coalizões nos regimes presidenciais na América Latina

Processo: 19/27235-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2020
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Ciência Política - Estado e Governo
Pesquisador responsável:Fernando de Magalhães Papaterra Limongi
Beneficiário:Maíra Meyer Urban Pimentel
Instituição-sede: Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (CEBRAP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/14525-6 - Instituições políticas, padrões de interação executivo-legislativo e capacidade governativa, AP.TEM
Assunto(s):Presidencialismo   Governo   Coalizão   Banco de dados   Coleta de dados   América Latina

Resumo

Nos regimes presidencialistas da América Latina, existe uma variação importante entre governos que conseguem governar sem precisar ceder pastas ministeriais a outros partidos para formar uma coalizão de governo e outros casos onde os presidentes precisam negociar com partidos aliados para formar coalizões. Recentemente, os estudos sobre o voto econômico na América Latina têm se dedicado a estudar o impacto das coalizões de governo nos estudos sobre o voto econômico. Este tema vem sendo analisado e estudado por uma equipe de pesquisadores ligados ao Núcleo de Estudos Comparados e Internacionais (NECI) e Texas A&M University. Este projeto de iniciação científica tem por objetivo contribuir para a construção do banco de dados de estudos sobre as características dos governos nas democracias na América Latina no período entre 1970 até o presente. A coleta de informações acerca dos partidos que ocuparam pastas ministeriais durante todas as coalizões já formadas nos governos dos 18 países da América Latina já foi iniciada com base em bancos cedidos por outros pesquisadores, e informações coletadas para a realização deste projeto de investigação. As bases de dados de que dispomos também reúnem dados sobre a porcentagem de cadeiras que cada partido tem na Câmara e no Senado. O objetivo desta iniciação cientifica será de atualizar, conferir, validar a analisar estes bancos de dados.