Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo do envolvimento da maquinaria ESCRT na montagem e brotamento de vírus zika em células de glioblastoma humano

Processo: 19/20193-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2020
Vigência (Término): 30 de junho de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Pesquisador responsável:Luis Lamberti Pinto da Silva
Beneficiário:Milena Barrocali de Araújo Melo
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/02438-6 - Estudos com Bunyaviridae causadores de doença, AP.TEM
Assunto(s):Interações vírus-célula   Retículo endoplasmático   Vírus Zika   Endossomos   Sistema nervoso central   Complexos endossomais de distribuição requeridos para transporte

Resumo

Pertencente à família Flaviviridae, o vírus da Zika (ZIKV), é um flavivírus cujo principal agente transmissor são mosquitos da família Aedes. Apesar de sua clara relevância em saúde pública e relatos na literatura correlacionando este arbovírus à manifestações clínicas graves que levam ao comprometimento do sistema nervoso central (SNC), os mecanismos moleculares envolvidos na montagem e externalização do ZIKV são pouco elucidados. Neste contexto, estudos que exploram a dinâmica intracelular do ZIKV, particularmente no que concerne à participação de fatores da célula hospedeira na propagação viral, são escassos. O presente trabalho tem o objetivo de investigar e caracterizar a participação da maquinaria ESCRT (Endosomal Sorting Complex Required for Transport) na replicação de ZIKV. Para tanto será investigado se a expressão das subunidades HRS (ESCRT-0), TSG101 (ESCRT-I), CHMP4 (ESCRT III) e da proteína acessória Alix, são necessárias para a replicação do ZIKV. Dados preliminares obtidos pelo nosso grupo sugerem que a proteína TSG101 possui participação importante na replicação do ZIKV em células U-251, no entanto experimentos adicionais serão realizados afim de comprovar tais achados e compreender em que etapa do ciclo replicativo viral a atividade de TSG101 é importante. Outro objetivo é determinar se as proteínas de ZIKV, como a proteína não estrutural 3 (NS3) e proteína do envelope (E), interagem fisicamente com ESCRTs. Tais resultados serão complementados, investigando o domínio de TSG101 envolvido na interação e a técnica de GFP-trap, afim de explorar outras proteínas, virais e do hospedeiro, candidatas à interação. Estudos como este, que visam elucidar como o vírus utiliza a maquinaria celular do hospedeiro, são essenciais para a compreensão do ciclo replicativo viral em nível molecular, contribuindo para elaboração de estratégias direcionadas à terapias antivirais. (AU)