Busca avançada
Ano de início
Entree

A derivação da fórmula da lei universal na Fundamentação da Metafísica dos Costumes

Processo: 19/21992-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2020
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Filosofia - Ética
Pesquisador responsável:Monique Hulshof
Beneficiário:Vinicius Pinto de Carvalho
Instituição-sede: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Immanuel Kant   Metafísica   Moral

Resumo

Na Fundamentação da Metafísica dos Costumes, Kant busca identificar qual é o princípio supremo da moralidade. O objetivo desta pesquisa é o de analisar os argumentos da primeira e da segunda seções, conhecidos na literatura como as derivações, que identificam a chamada Fórmula da Lei Universal (FLU)- "age apenas segundo a máxima pela qual possas ao mesmo tempo querer que ela se torne uma lei universal"-como tal princípio. Tais argumentos são acusados de conter o "gap da derivação": de acordo com vários intérpretes (Aune 1979; Allison 1991; Wood 1999), haveria uma lacuna argumentativa nas derivações, pois Kant teria chegado à FLU ao considerá-la equivalente ao princípio de que deve-se sempre conformar as máximas das ações a leis universais. Contudo, alega-se, tais princípios diferem significativamente, pois atestam diferentes resultados quanto à moralidade de uma mesma máxima. Desse modo, Kant não teria justificado adequadamente a FLU como princípio supremo da moralidade. Em nossa pesquisa, pretendemos analisar cuidadosamente a derivação da FLU na primeira seção (que culmina em GMS 402) e na segunda (em GMS 421) e esse problema a elas atribuído. A partir da noção de autonomia introduzida na primeira seção (ainda que implicitamente) e apresentada em sua completude na segunda, investigaremos se é possível resolver o problema do gap da derivação considerando que o caráter autônomo de leis morais preencheria a lacuna argumentativa identificada na literatura, ao tornar os dois princípios equivalentes. (AU)