Busca avançada
Ano de início
Entree

Geoquímica do nióbio em solos expostos a rejeitos de mineração em ambiente tropical (Brasil) e temperado (Espanha)

Processo: 19/12022-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2020
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Ciência do Solo
Pesquisador responsável:Tiago Osório Ferreira
Beneficiário:Fabio Perlatti
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Geoquímica dos solos   Biogeoquímica   Poluição do solo   Nióbio   Métodos de extração sequencial   Amazônia   Galícia

Resumo

O Nióbio - Nb é um metal relativamente raro na crosta terrestre, que tem chamado atenção pelas extraordinárias propriedades físico-químicas que possui. Apesar de existirem muitas pesquisas em todo o mundo, em busca de novas aplicações tecnológicas para o metal, pouco se sabe sobre a mobilidade geoquímica do metal em ambientes mineiros e naturais. Também são escassos os conhecimentos sobre eventuais efeitos deletérios que pode causar a biota. No Brasil, que concentra aproximadamente 93% da produção global, o metal é extraído principalmente em depósitos de Pirocloro [(Na,Ca)2Nb2O6(OH,F)] e Columbita-Tantalita [Fe,Mn)(Nb,Ta)2O6] e, com a crescente demanda pelo mineral, cresce também a exploração ambiciosa e desordenada. Na Amazônia, onde se encontram as maiores reservas de Nb associado à columbita, é crescente a existência de garimpos que exploram o minério, assim como a garimpagem em áreas de mineração cassiterita, que também gera rejeitos ricos em columbita. Em tais locais, é comum observar rejeitos dispostos a céu aberto, sem qualquer critério técnico, o que pode vir a causar o acúmulo de elevados teores de Nb no solo, com eventual transferência para biosfera. Essa mesma situação é observada na mina de Penouta, localizada na Galícia (Espanha), que foi explorada desde 1906 para extração de cassiterita, porém abandonada em 1985, deixando um legado de milhões de toneladas de rejeitos a céu aberto, ricos em minerais contendo Sn-Nb-Ta associados. Neste contexto, esse trabalho terá por objetivo compreender o comportamento biogeoquímico do Nb e suas relações com o ambiente, através da avaliação da especiação do metal em rejeitos de mineração e no solo, obtido pela técnica de extração sequencial em dois ambientes diferentes (tropical e temperado). Como resultados, esperamos elucidar os principais mecanismos geoquímicos que afetam sua mobilidade, gerando um entendimento inédito sobre os modos de dispersão e de controle do metal no ambiente. (AU)