Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise da função do ácido siálico presente em glicanos de proteinases de venenos do gênero Bothrops

Processo: 19/24760-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de junho de 2020
Vigência (Término): 30 de setembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Química de Macromoléculas
Pesquisador responsável:Solange Maria de Toledo Serrano
Beneficiário:Carolina Brás Costa
Supervisor no Exterior: Oliver Schilling
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Freiburg, Alemanha  
Vinculado à bolsa:17/09929-3 - Venenos de serpentes do gênero Bothrops: impacto da glicosilação na complexidade dos proteomas e função de toxinas, BP.DD
Assunto(s):Espectrometria de massas   Venenos de serpentes   Bothrops

Resumo

A glicosilação de proteínas é uma das principais modificações pós-traducionais (PTMs, na sigla em inglês) em venenos de serpentes viperídeas e contribui para a diversificação de seus proteomas. Recentemente mostramos que os venenos de Bothrops são marcadamente definidos pelo seu conteúdo de glicoproteínas e que a maioria das estruturas de N-glicanos presentes em oito venenos de Bothrops contêm unidades de ácido siálico. Para aprofundar nossas investigações sobre os proteomas desses venenos e os mecanismos envolvidos na geração de diferentes venenos por serpentes relacionadas, neste estudo estamos analisando os subprotemas de glicoproteínas selecionadas por lectinas com especificidades para diferentes sacarídeos, e o papel do ácido siálico na atividade das proteinases presentes em nove venenos de Bothrops. A remoção de ácido siálico alterou o padrão de gelatinólise da maioria dos venenos e diminuiu a atividade proteolítica de alguns venenos sobre o fibrinogênio, e a atividade coagulante sobre o plasma humano de todos os venenos, indicando que as unidades de ácido siálico podem desempenhar um papel na atividade das proteinases desses venenos. Por outro lado, o perfil de atividade amidolítica dos venenos não se alterou após a remoção do ácido siálico e a incubação com Bz-Arg-pNA, indicando que o ácido siálico não é essencial nos N-glicanos de serinoproteinases que atuam em pequenos substratos. No contexto deste projeto, pretendemos estender a caracterização da função do ácido siálico presente nas cadeias de glicanos de proteinases dos venenos de B. jararaca e B. insularis. Para isso, propomos analisar o degradoma de ambos os venenos (não tratados e tratados com neuraminidase, para remover unidades de ácido siálico) no plasma humano, utilizando a abordagem TMT-TAILS.